Futebol Profissional

Setor defensivo do mengão: Quais são os motivos para levarmos tantos gols?

0

3 O ano de 2019 vem sendo marcado pelo esforço da diretoria do Flamengo em reforçar o elenco em busca dos grandes títulos. Entretanto, mesmo com todo esse esforço, o setor defensivo da equipe continua muito falho e levando muitos gols, o que não condiz com todo dinheiro investido no elenco.

Neste ano, o Flamengo já concretizou 8 contratações e foram gastos mais de 150 milhões de reais em reforços. E, desses 8 novos jogadores, 4 chegaram para reforçar o setor defensivo: Rodrigo Caio, Filipe Luis, Rafinha e Pablo Mari. Juntos, custaram cerca de 25 milhões de reais aos cofres rubro-negros (contando apenas compras de passe, sem contar os salários). 

Na foto, um dos reforços do mengão no ano, Rodrigo Caio. Comemorando seu gol que classificou o mengão para as quartas de final da Copa do Brasil. Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

E vamos aos números…. 

Em 2019, o Mengão já disputou 44 partidas, com 40 gols sofridos, uma média de 0,9 gols sofridos por jogo, uma estatística bem alta para um time do nível do Flamengo. Comparando com o Internacional, nosso adversário na Libertadores, em 42 partidas no ano, eles sofreram 30 gols, uma média de 0,7 gols sofridos por jogo. E nesses 44 jogos, apenas em 13 o Flamengo conseguiu sair de campo sem ser vazado. Entretanto, como visitante, os números são ainda piores. Foram 16 jogos fora de nossa casa em 2019 e o Flamengo sofreu 18 gols, uma péssima média de 1,1 gols sofridos por jogo.

É verdade que ainda não conseguimos jogar com a zaga “ideal”, que, teoricamente, seria Filipe Luis, Pablo Mari, Rodrigo Caio e Rafinha. Mas, temos opções de qualidade no banco que podem suprir lesões e suspensões sem fazer falta para a equipe. Portanto, não acredito que a culpa desse elevado número de gols sofridos seja dos jogadores. Eu acredito que sejam falhas generalizadas do setor defensivo como um todo, na maioria das vezes.

No último domingo (04), o Flamengo, pela primeira vez no ano, sofreu 3 gols em uma só partida. Em geral, foi uma partida tenebrosa de todos do Flamengo. Entretanto, no primeiro e terceiro gol do Bahia, as jogadas foram muito parecidas e os gols só ocorreram pelo estilo de marcação do técnico Jorge Jesus. A famosa marcação em linha alta. E foi essa marcação que gerou a corrida do Gilberto nas costas de nossos zagueiros. Porém, o segundo gol do Bahia, foi falha unicamente do goleiro Diego Alves, que errou a saída de bola e acabou deixando o gol aberto para o Gilberto ampliar para o time baiano.

Diego Alves, Arrascaeta, Pablo Mari e Filipe Luis.
Foto: Alexandre Vidal

Como descobrir uma possível solução para esse problema?

As respostas para essa pergunta não são simples, os novos reforços da equipe treinaram pouquíssimas vezes com os seus companheiros. A falta de entrosamento é clara, o que muitas vezes acarreta em gols sofridos. Além disso, temos que levar em conta a parte física. Jogadores como Rafinha, Filipe Luis e Pablo Marí acabaram de chegar de uma longa temporada na Europa. E, mesmo assim, já estão no meio da nossa temporada aqui, o que pode causar grandes problemas físicos para eles.

Portanto, acredito que não exista uma solução 100% correta para esse problema. Contudo, por ora, temos que torcer para que todos os nossos jogadores se recuperem rapidamente de suas lesões, já que estamos num momento da temporada em que precisamos de toda a ajuda possível. Por isso, creio que o técnico Jorge Jesus já tenha enxergado quais foram as falhas no setor defensivo e já esteja trabalhando com a equipe para melhora-las e evitar que jogos como a partida contra o Bahia ocorram novamente.

Enfim, creio que não podemos culpar o técnico Jorge Jesus por essas falhas ainda. O Mister tem apenas cerca de 45 dias com o elenco, teve pouco mais de 20 dias de treinamento, mas, após a estreia, foram 8 jogos em 24 dias. Contudo, acredito que o português ainda não tenha conseguido implantar sua filosofia de futebol no time, mas, com o tempo, os jogadores vão entender o que o treinador pede e boa parte dos problemas devem ser resolvidos. No momento, é preciso que a paciência impere e que estejamos prontos para um Flamengo verdadeiramente diferente do já vimos.

 

Jorge Jesus na goleada por 6×1 em cima do Goiás. Nesse dia, o “Mister” fazia sua estreia no Maracanã pelo Flamengo.
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

 

Obrigado por ler! Se puder ler minha última coluna estaria me ajudando e ajudando demais o site! Me siga (@Lucas_SilvaCRF) e siga o Redação (@Red_RubroNegra) no Twitter. Se discordou ou concordou com algo que eu disse, ou lembrou de algo que eu deixei de fora, escreva nos comentários! Críticas, contanto que educadas e construtivas, sempre são bem-vindas! SRN.

 

 

Lucas Silva
Flamengo ❤️🖤 e Música 🎵🎵 | SRN

Os caminhos da classificação rubro-negra

Previous article

Balotelli pode ser anunciado pelo Flamengo nas próximas horas, diz jornalista

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TABELA