Saiba tudo sobre o novo Conselho Fiscal do Flamengo

0
204
  1. No dia 30/03, o Conselho Deliberativo do Flamengo elegeu o novo Conselho Fiscal, órgão fiscalizador máximo do Clube. Mas afinal, quais são as responsabilidades do Conselho Fiscal (ou simplesmente CoFi)? Por que ele é tão importante? Quais eram as chapas disputando a eleição e por que muitas pessoas afirmam que não houve uma mudança significativa no CoFi com a vitória da Chapa Roxa? Vamos tentar esclarecer todos esses pontos abaixo.

Para que serve o Conselho Fiscal do Flamengo?

O Conselho Fiscal é o órgão máximo de fiscalização e controle da gestão responsável das finanças e dos recursos do clube.

O CoFi precisa transmitir aos sócios a necessária tranquilidade sobre as Demonstrações Financeiras e os principais contratos assinados pelo clube, através de uma atuação técnica, transparente, isenta e responsável. Entre suas principais atribuições, podemos destacar as seguintes:

  • Examinar a contabilidade, balancetes e balanço anual;
  • Verificar a adequação das contas ao orçamento aprovado;
  • Dar parecer sobre as contas do exercício anterior;
  • Apurar a responsabilidade por prejuízos financeiros causados ao FLAMENGO;
  • Encaminhar a prestação de contas ao Conselho Deliberativo;
  • Analisar contratos e sugerir à gestão medidas para melhorar administração econômico-financeira do Clube.

Como se vê, o Conselho Fiscal do Flamengo é um órgão extremamente importante e essencial para a manutenção da política de austeridade financeira que foi implantada nos últimos anos.

Quais eram as chapas concorrentes?

Havia duas chapas disputando a eleição: a Roxa, que tinha o apoio da atual diretoria do Flamengo, encabeçada por Sebastião Pedrazzi, e a Azul, que tinha Arian Bechara como candidato, composta basicamente pelo grupo “SóFla”, grupo político do ex-presidente Eduardo Bandeira de Mello e sua base de apoio de 2013 a 2018. (Na eleição para presidente, a chapa Azul concorreu com a cor Rosa).

CONFIRA AQUI: entrevista dos candidatos para o Conselho Fiscal no jornal O Globo 

O cenário da eleição, a princípio simples – situação vs. oposição – apresentava nuances interessantes, devido à natureza do CoFi. Muitos conselheiros afirmam que não haveria renovação independente do resultado da eleição, pois ambas chapas continham membros do Conselho Fiscal do triênio 16-18. De maneira geral, podemos resumir as possibilidades ao seguinte diagrama:

  • Em caso de vitória da chapa Roxa: 5 membros do CoFi reeleitos  e 2 novos membros efetivos.
  • Se a chapa azul vencesse: 3 membros do CoFi reeleitos e 4 novos membros efetivos.

Há outras variáveis e interpretações possíveis, como a ordem dos candidatos e divisão entre membros efetivos e suplentes. Caso uma chapa ganhasse com pelo menos 80% dos votos, o Conselho Fiscal teria apenas 5 membros, todos da chapa vencedora. Veja o que diz o Estatuto:

Capítulo VI – DO CONSELHO FISCAL
Art. 114 – O Conselho Fiscal será eleito, trienalmente, pelo Conselho Deliberativo e é
constituído de, no mínimo, cinco membros efetivos e cinco suplentes. Serão incorporados ao Conselho os quatro primeiros sócios que figurarem na chapa segunda colocada os dois primeiros como efetivos e os dois subsequentes como suplentes – desde que a soma dos votos das chapas vencidas atinja vinte por cento dos votos válidos, excluídos do “quorum” os votos em branco.

Contudo, há muito tempo que não há chapa única ou alguma que vencesse com tal diferença de votos. Portanto, todas as últimas formações do CoFi tiveram 7 membros efetivos, e as pesquisas informais apontavam que isso se repetiria. Daí essa avaliação de manutenção da maior parte dos membros  efetivos do Conselho Fiscal do Flamengo da gestão EBM para a atual.

O resultado da eleição para o Conselho Fiscal

Ao fim do longo dia eleitoral, a chapa roxa sagrou-se vencedora:

Chapa Roxa: 415 votos
Chapa Azul: 340
Brancos e nulos: 4

Assim, a chapa Roxa levou 5 cadeiras efetivas, e a chapa azul, 2.

A vitória reforçou o domínio político da gestão Landim, já que seus apoiadores venceram todas as eleições principais do Flamengo. Além do próprio Rodolfo Landim eleito presidente do Clube, Antônio Alcides venceu no Conselho Deliberativo e, agora, Sebastião Pedrazzi no Fiscal. Desta maneira, Landim terá aliados na presidência dos principais Conselhos do Flamengo, tal qual aconteceu com Bandeira de Mello.

Todavia, cabe destacar que esta foi a vitória mais apertada da chapa Roxa (55% x 45%). Isso pode ser visto como um avanço da atual oposição, ou então como um equilíbrio maior devido à natureza mais técnica e menos política do CoFi.

Veja algumas curiosidades sobre a eleição para o Conselho Fiscal do Flamengo

Houve reclamações  sobre o horário da eleição, que começou às 8h e terminou às 21h. Uma jornada longa e cansativa para quem fica o dia todo em campanha. Porém, o horário é uma questão definida pelo Estatuto do Clube:

Art. 91 § 2º – Na eleição do Conselho Fiscal e do presidente e vice-presidente do Conselho
Deliberativo, a reunião será instalada com qualquer número, iniciando-se a votação, que será secreta, às 8:00 horas e encerrando-se às 21:00 horas.

Sendo assim, somente com mudanças no Estatuto – o que não é simples nem rápido – isso poderá ser alterado. Outro ponto importante a se considerar é que a eleição desta vez ocorreu num sábado. Se fosse durante a semana, em dia útil, esse horário permitiria aos eleitores irem votar antes ou depois do trabalho.

Teve também uma denúncia de que haveria um “golpe”: outro membro da chapa Roxa assumiria a presidência do CoFi no lugar do Pedrazzi. Isso causou preocupação e surpresa em alguns conselheiros. Observe o que diz o Estatuto a respeito:

Art. 115 – Compete ao Conselho Fiscal:
I – eleger, em sua primeira reunião após a posse, seu presidente e vice-presidente, cabendo ao presidente nomear o secretário, que completará a Mesa Diretora;

Ou seja: na eleição do CoFi, você não vota em uma pessoa, mas sim em uma chapa. Após a eleição, em sua primeira reunião, o CoFi elege presidente e vice. As chapas dizem quais são seus candidatos a Presidente e Vice, porém somente após a eleição essa definição ocorre de fato. Muitos votaram nas pessoas que representavam as chapas ao invés da chapa em si, e ao ouvirem tais “denúncias de golpe” se preocuparam e houve alguns debates a respeito. Felizmente, os membros componentes das chapas rapidamente reforçaram que não havia nada de concreto nessas afirmações. Isso se comprovou poucas horas depois, na primeira reunião do CoFi, que confirmou Pedrazzi como presidente e Pires como vice. Segue o jogo!


Recomendo a todos que tenham interesse no tema acessar a página sobre o Estatuto no site oficial do Flamengo e conferir a estrutura dos conselhos do Clube. Lá você pode baixar na íntegra o Estatuto do Mais Querido, além de todos os Regulamentos Internos dos Conselhos do CRF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here