Futebol ProfissionalHistória do Flamengo

Os “Flamengos” e sua história.

17 de Novembro de 1895… Seis jovens remadores fundam o clube de regatas… Virou samba e também virou uma religião chamada Flamengo.

Para quem não sabe, naquela época não existia o aterro, logo a praia ficava colada às casas. Havia um píer, para que os remadores colocassem os barcos na Baía de Guanabara. O Rio de Janeiro era outro. Era a capital da república, havia dinheiro, investimento, havia poder na cidade, a única capital de um império europeu fora da Europa.

Sim, até 1822, não muito longe de 1895, o Brasil havia se declarado independente, mas antes era a capital do império. A magia estava ao redor do Rio. Naquela época, tudo era possível fazer. Até criar o maior clube da América Latina. 

Por que Flamengo?

Mas, afinal porque nos chamamos Flamengo? Existem várias histórias por trás do nome, mas escolhi uma que me remete ao país que escolhi torcer no futebol: a Holanda. Segundo o professor Milton Teixeira, da Band News Rio, a praia do Flamengo é conhecida por este nome, porque ali estavam os holandeses. Que na época do descobrimento ancoravam para fazer negócios com os índios. Ou seja, nós Flamengos, é que deveríamos poder usar a camisa laranja como terceiro uniforme, nunca o Fluminense.

O fato é que a fundação Clube de Regatas do Flamengo está marcada até hoje na praia, perto do antigo Hotel Glória. Existe uma inscrição em bronze em um dos prédios da orla citando: “Aqui em 1895, foi criado o Clube de Regatas do Flamengo”.  Fico imaginando se hoje eu e você aí, voltássemos no tempo e pudéssemos conversar com eles sobre isso, o que diríamos? 

Se disséssemos que eles tinham acabado de criar o maior clube da América latina. Um gigante que se alimenta de vitórias. Mas não só no mar. E sim sobre a terra. Utilizando as redes como pescadores, para trazer não peixes, mas para trazer torcedores com cada gol feito. 

Confesso que o primeiro uniforme ser azul e dourado, me causa desconforto. E acredito que nos fundadores também, até porque o tecido nestas cores era difícil de encontrar na cidade. Tanto que um ano depois eles mudaram as cores para vermelho e preto. Ficando desde então e fazendo a camisa famosa em todo mundo. E marcando a história.

Fico pensando hoje, mais de um século depois, qual é o papel do Flamengo em nosso mundo. Temos uma pandemia mundial, com todos nós presos em casa para escapar de um vírus que nos assusta. E acho que o Flamengo desde o ano passado, se tornou o que foi desde o começo: esperança. A fundação tinha a esperança de fazer algo novo. Hoje, nós temos mais uma vez o clube como exemplo.

Exemplo que se fizermos o sacrifício correto a recompensa virá. Que se nos dedicarmos e nos unirmos é possível, sim transformar o que achávamos impossível. Nós fizemos isso ao pagar as dívidas e ignorar o caminho errado, o caminho que tantas vezes o Brasil e clubes brasileiros querem tomar.

O que poderíamos dizer hoje, aos 6 jovens que nos fizeram ter tanta alegria e amor? Talvez, que cuidamos daquilo que eles começaram com a mesma paixão que eles  E que um dia, ajudamos o clube a ser um exemplo para o país. Mas também precisaríamos contar tudo que passamos, como batemos no fundo do poço.

Como estivemos à beira do abismo, viramos chacota, viramos párias no futebol nacional e também mundial. Nos chamaram de a Inglaterra da América do Sul, como se nunca mais fossemos capazes de ganhar outra Libertadores.

O fato é que ganhamos, viramos exemplo de esperança, de amor, de lágrimas. Nós somos Flamengo e não vamos desistir. Porque temos raça, amor, paixão. 

Os Flamengos chegaram ao Brasil. E apesar dos portugueses, com o tempo e luta, conquistaram o coração de todo o país.

Etiquetas

marcelocoli

Sou redator, agente provocador, crítico, e presidente virtual do Flamengo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar