Futebol Profissional

O Carioca do Flamengo Sub-20

Time Sub-20 Flamengo

Amigos! Estou de volta ao Redação Rubro-Negra e é com grande prazer que volto a escrever para a maior e mais apaixonada torcida do planeta: A torcida do Clube de Regatas do Flamengo!

Hoje, faremos um balanço sobre a participação do time C, o sub-20 do Flamengo no campeonato carioca. Como é de conhecimento de todos, o time principal do rubro-negro, titulares e reservas, tiveram férias prolongadas devido ao acúmulo de competições em 2019. O time campeão carioca, brasileiro e das Américas fez seu último compromisso dia 21/12/19 e assim, esteve de férias até o dia 27/01/2020, data da reapresentação.

Com isso, o time C, composto por jogadores da base e alguns atletas que já estouraram a idade para o sub 20 deram início à disputa do campeonato carioca. Foram quatro jogos: um empate, duas vitórias e uma derrota.

O Flamengo sub-20 na Taça Guanabara

Se o foco for apenas a pontuação obtida, considero que o time conseguiu fazer bons resultados. Com um percentual de 58,3% nos quatro jogos realizados, o time composto pelos garotos do ninho tem 7 pontos. No momento está empatado em pontos com o Boavista, na primeira posição do grupo. Vale lembrar que os garotos já jogaram dois clássicos (Vasco e Fluminense), vencendo um e perdendo outro. Levando isso em consideração, a situação do rubro-negro para a classificação na Taça Guanabara é tranquila. Faltam dois jogos contra dois times teoricamente pequenos: Resende e Madureira.

–

Porém, não tenho o costume de analisar desempenho levando em consideração apenas o resultado. Em algumas situações, o placar nos engana na análise. Assim, tento me desvincular do resultado e procuro focar no jogo em si, nos planos técnicos e táticos apresentados.

Destaques da base

Neste sentido, podemos extrair muitas coisas desses primeiros jogos. Alguns garotos merecem destaque como Bill, que no pouco tempo que jogou se mostrou agudo, com boa técnica e habilidade, melhorando o desempenho do time sempre que entrou. Pelo outro lado, Yuri também ganha destaque. O garoto de 19 anos joga pela esquerda com o pé invertido, fazendo a entrada pela diagonal muitas vezes com sucesso durante os jogos.

Na parte defensiva, os destaques foram os laterais Ramon e Matheus França. Ramon é uma joia da base do Flamengo. O jovem tem apenas 18 anos e já mostrou qualidade principalmente no apoio. Nesses quatro jogos, foi responsável por duas assistências que encheram os olhos da torcida.

Matheus França ou simplesmente Matheuzinho também fez bons jogos. Entrando na vaga de João Lucas o lateral direito participou de 216 minutos e se mostrou melhor que o concorrente. É um jogador rápido e melhor no apoio que João Lucas e, como só temos Rafinha para a posição, podemos ter Matheus França compondo o elenco principal do rubro-negro em 2020.

Análise tática do time sub-20 no Campeonato Carioca

Porém, além do aspecto individual, o aspecto tático do time sub 20 do Flamengo é o que me chama mais atenção. É neste aspecto que pairam minhas maiores dúvidas e minha única decepção nestes primeiros jogos deste time de garotos.

Taticamente, o time de Maurício Souza não se difere muito daquilo que estamos fartos de ver no Brasil. Um time que tenta se defender muito bem e que parte no contra-ataque muito rapidamente. Percebi que, em alguns jogos, quando tínhamos o controle da posse de bola, não tínhamos a criatividade necessária para furar os bloqueios impostos pelos adversários.

Em geral, os ataques promissores do Flamengo eram construídos com a retomada de bola no campo de defesa e a saída rápida em velocidade. Não vimos a habitual troca de passes e a construção de jogadas pensadas, com inversão de jogo e infiltrações.

E neste sentido, ontem ao final do Fla x Flu, percebi que esses garotos estão pulando etapas, mesmo aqueles mais criticados como Lucas Silva que já é um pouco mais velho. Quando um garoto da base entra num time já formado e estruturado é uma coisa, agora quando se tem um time todo da base enfrentando times profissionais a tarefa fica mais complicada e ainda assim tivemos resultados.

Acho que, de modo geral, os garotos do sub-20 corresponderam. Claro que ainda há um trabalho de fundamento ainda pra ser aprimorado, posicionamento entre outras coisas. A formação desses atletas ainda não está concluída. Mesmo assim, gostei dos meninos de forma geral.

Onde está o DNA rubro-negro?

O que me deixou muito triste e preocupado foi ver q o trabalho do Mister não é seguido pela base, nem de perto. Não consegui identificar nenhuma das premissas de jogo do Mister no time de Mauricinho Os trabalhos são separados, dissociados, não se conversam e isso ficou claro nesses jogos que a base fez. Essa é minha maior preocupação: constatar que a filosofia de jogo do Mister não está sendo internalizada.

O futebol de intensidade, marcação sob pressão, linha defensiva alta e o gosto pela posse de bola, que são as diretrizes do time de Jorge Jesus não estão presentes no nosso sub-20. É claro que Maurício Souza tem total autonomia para conduzir seu trabalho, mas na minha visão, o clube deve criar sua filosofia de jogo.

A cultura de futebol dentro do Flamengo deve ser criada e deve espelhar o que o Mister faz hoje com o time profissional. Este é o famoso DNA rubro-negro que muitos pedem que seja definitivamente instaurado no clube. Cabe ao Flamengo ter a convicção no trabalho do Mister e neste DNA além de promover sua propagação por todas as categorias.

Meu receio é: Se o Mister for embora amanhã, voltaremos à estaca zero?

marcaobeton

Acompanho o Flamengo desde 1986. Tive grandes alegrias com o final da geração de ouro e foi Zico e cia. que me fizeram ser Flamengo.
Nunca precisei ter o Flamengo jogando em minha cidade para ser fanático pelo clube. Sou de Brasília e escrever e comentar sobre o dia-a-dia do clube faz eu me sentir mais próximo da minha grande paixão.
Sou sócio-torcedor, sócio Off-Rio e participo do canal de youtube Zona Rubro-Negra (youtube.com/zonarubronegra)

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Colunistas

marcaobeton

Acompanho o Flamengo desde 1986. Tive grandes alegrias com o final da geração de ouro e...

marcaobeton

Acompanho o Flamengo desde 1986. Tive grandes alegrias com o final da geração de ouro e...

marcaobeton

Acompanho o Flamengo desde 1986. Tive grandes alegrias com o final da geração de ouro e...