Lendas do Time de 1981: Nunes

0
212
  1. TIME HISTÓRICO DE 1981: CAMPEÃO DA LIBERTADORES E MUNDIAL
Dando continuidade à nossa série sobre os lendários jogadores da campanha de 81, onde já falamos sobre o goleiro Raul, os zagueiros Marinho e Mozer e os volantes Adílio e Andrade, os atacantes Lico e Tita, técnicos e reservas, o lateral direito Leandro, hoje vamos conhecer Nunes e sua participação nas conquistas de 1981.
 
 
Nunes
 
João Batista Nunes de Oliveira, o Nunes, era centroavante. Nascido em Feira de Santana-BA, aos 14 anos se mudou para o Rio de Janeiro, depois disso ingressou na base do Flamengo onde jogou por 5 anos. Dispensado pelo Flamengo antes de se profissionalizar, foi para Sergipe onde iniciou sua carreira profissional jogando pelo Confiança. Em pouco tempo, virou ídolo do clube sergipano. Em 1976, aos 21 anos, se transferiu ao Santa Cruz-PE onde conquistou seus primeiros títulos. Por exemplo, foram dois campeonatos pernambucanos em três anos jogando pelo clube. Chamou a atenção de outro clube carioca e foi transferido ao Fluminense em 1978. Sem grandes atuações, ou títulos, foi novamente transferido, desta vez, ao Monterrey, do México.
 

Chegada ao Flamengo

Em 1980, Nunes finalmente chega ao seu clube do coração. Com 26 anos, ele chega pra ser o centroavante daquele esquadrão. Acima de tudo, sua chegada e seu sucesso no Flamengo devem-se ao rápido entrosamento com Zico. Chutava forte com as duas pernas, sempre bem posicionado, raçudo, oportunista, trombador, movimentação constante, ágil, tinha boa condição física, ótimo no jogo aéreo, insistente e, acima de tudo, impetuoso, não demorou pra cair nas graças com a torcida do Flamengo.
Uma passagem recheada de gols, muitos deles de extrema importância e decisivos. Nunes logo recebeu o apelido de ‘artilheiro das decisões’. Foram 214 jogos e 99 gols. Além disso, entrou para a história do Flamengo com a conquista de muitos títulos. Por exemplo, os mais importantes, os três campeonatos Brasileiros (1980/82/87), a Libertadores de 1981 e o Mundial Interclubes daquele ano.
 
Primeira decisão
Receber o apelido de ‘artilheiro das decisões’ é algo difícil de se conseguir. No entanto, é fácil de explicar, foram gols em quatro finais. Acima de tudo, além dos gols, vieram os títulos. Portanto, as conquistas deixaram os gols ainda mais importantes e marcantes na história do clube. Na primeira final com o Flamengo, Nunes marcou dois contra o Atlético-MG. Golaços, decisivos. No primeiro, mostrou velocidade, entrosamento com Zico e frieza na finalização. O seu segundo gol foi o terceiro do Flamengo naquela partida que terminou com o placar de 3×2. Nunes demonstrou personalidade ao chamar a jogada individual, concluindo com um belo drible em seu marcador, finalizando quase sem ângulo. Um gol que definiu a partida e o primeiro título brasileiro do Flamengo. Nunes entrou para a história. 

Segunda decisão

Estamos em 1981 e Nunes em seu melhor ano com a camisa do Flamengo. Foram 51 gols no campeonato Brasileiro, apesar de o Mais Querido não chegar ao título. Nunes marcou 16 e foi o artilheiro da competição. Além disso, essa marca ainda lhe rendeu o prêmio Bola de Prata como artilheiro do campeonato. Mas, foi numa decisão de estadual contra o Vasco, que Nunes marcaria seu nome na história do Flamengo mais uma vez. Ele marcou o segundo gol na vitória por 2×1 que selou o título do Flamengo.
Ao final da partida, ainda houve uma confusão. Um torcedor do Flamengo entrou em campo para comemorar antes do fim do jogo. Sendo agredido por um jogador do Vasco, lá estava Nunes saindo em defesa de seu torcedor, o que gerou mais confusão. Quando o jogo findou, ficou a imagem do belo gol marcado por Nunes, em outras palavras, mais uma vez o centroavante decidia um título pro Fla. Com oportunismo e uma bela finalização de longa distância, um golaço.

Terceira decisão

O ano de 1981 ainda tinha reservado a maior glória da história do Flamengo para dezembro. Em outras palavras, após uma grande campanha na Libertadores, com 14 jogos e apenas uma derrota, e, acima de tudo, a conquista do título. Como consequência, veio o Mundial Interclubes, onde o Mais Querido enfrentou, na final, o Liverpool, vencedor da Champions League. Nunes, que marcou 6 gols na Libertadores, chegava naquela final muito motivado e confiante. Da mesma forma que todo elenco do Flamengo para aquela partida histórica. Em 45 minutos, o Flamengo fez 3×0 e praticamente decidiu a partida. Nunes marcou dois. Mais uma vez mostrando sua velocidade e enorme capacidade de finalização. Portanto, com o Flamengo, conquistava seu maior título da história. Mais uma vez o ‘artilheiro das decisões’ se fez presente.

Quarta decisão

Começa o terceiro ano de Nunes no Flamengo e com ele novas decisões, após uma campanha brilhante no Brasileiro com apenas 2 derrotas. O Flamengo chegou à decisão contra o Grêmio. Foram dois empates seguidos, o que fez com que houvesse uma terceira partida. Realizada em Porto Alegre, o jogo decisivo teve uma profecia de Zico. Ao ser perguntado antes da partida qual seria o placar, ele não hesitou ao dizer que seria 1×0 e, adivinhem, com gol de quem? Sim, Nunes.
Durante a peleja, Zico em uma de suas arrancadas, apenas rolou para Nunes. O artilheiro sempre veloz e com grande poder de finalização, com apenas um toque na bola, com um forte chute rasteiro, fez o gol. O Flamengo conquistava seu segundo título brasileiro, mais uma vez através dos pés habilidosos de Nunes.

Curiosidades

Uma das histórias facilmente contadas por Nunes é a que diz respeito à sua dispensa do Flamengo quando jovem. Ele conta que disse aos dirigentes e amigos que o Flamengo pagaria muito caro por ele ainda. Depois disso, Nunes foi cedido ao Santa Cruz-PE por $300 mil, comprado pelo Fluminense por $12 milhões e vendido ao Monterrey-MEX por $25 milhões. Posteriormente, retornando ao Flamengo por mais de $30 milhões. À época, os valores eram muito altos, mas geraram o retorno esperado que fez o Flamengo subir de patamar em sua história.
Nunes fez 43 gols em brasileiros pelo Santa Cruz-PE, e é, até hoje, o maior artilheiro do clube pernambucano em campeonatos brasileiros. Jogando pelo clube de Recife, quase fora convocado para a Copa do Mundo de 1978. Ele fazia parte da lista de 40 jogadores que o então técnico Cláudio Coutinho estava testando. Além disso, sendo, inclusive, o mais votado em pesquisa popular para assumir a camisa nove da Seleção naquela Copa. Foram 7 gols em 11 jogos nesse período pré Copa. No entanto, uma lesão o tirou da lista final e o impediu de jogar uma Copa do Mundo.

Lugar na História

Nunes com seus gols decisivos e suas atuações históricas, tem lugar de destaque no Museu do Flamengo. A sua camisa 9, usada na final do Mundial Interclubes, está lá, para todos verem, imortalizada, junto com as taças conquistadas e vídeos de seus gols. Nunes é exemplo para uma geração, assim como muitos de seus companheiros de elenco. Honrou a camisa do Flamengo e mostrou com seriedade e profissionalismo o que o Manto Sagrado representa para o Brasil, para o continente e para o mundo. Portanto, com muito orgulho e empenho, Nunes está na história do Flamengo, trazendo lembranças saudosas a todos que viveram aqueles dias de glória. Acima de tudo, mostrando respeito à camisa rubro-negra e à grandeza eterna do Flamengo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here