CrônicasEnzo SicilianoFutebol Profissional

Gladiadores da Nação – Diego Alves, a muralha rubro-negra

0

Estreando a série especial “Gladiadores da Nação” visando a grande final da Libertadores, falaremos sobre Diego Alves, o camisa 1 da Gávea. O carioca de 34 anos será o grande responsável do Flamengo por não deixar bola alguma passar a linha do gol rubro-negro no próximo sábado (23), diante do River Plate.

Carreira de Diego Alves

Diego iniciou sua trajetória no futebol em 2001, pelo Botafogo de Ribeirão Preto (SP). Três anos depois, foi contratado pelo Atlético Mineiro para fazer parte da equipe de base, subindo ao profissional em 2005. Em Belo Horizonte, Diego Alves foi campeão do Campeonato Brasileiro Série B e eleito o melhor goleiro da competição.

Rumo à Europa

Já em 2007, mais maduro, suas atuações chamaram atenção de clubes europeus. O Almería, da Espanha, acabou levando a melhor e pagou cerca de 2,5 milhões de euros pelo jogador. Com poucos meses na Espanha, conseguiu um feito histórico: quebrou o recorde do histórico goleiro Iker Casillas, ex-Real Madrid, ao ficar 618 minutos sem sofrer gols.

Considerado pela imprensa espanhola como um dos principais goleiros em atividade no país, conseguiu a façanha de defender o maior número de pênaltis em apenas uma temporada da La Liga: foram 7 defesas em 13 cobranças, sendo um deles batido por Cristiano Ronaldo.

Quatro anos após se juntar ao Almería, o goleiro foi contratado pelo Valencia por cerca de 3 milhões de euros. Uma grave lesão no joelho o tirou dos gramados por nove meses. Em 2017, Diego Alves ampliou o recorde de pênaltis defendidos na história do Campeonato Espanhol, totalizando 24 defesas em 50 cobranças.

Retorno ao Brasil

Em julho de 2017, Diego chegou ao Flamengo numa fase que o clube vivia sérias complicações na posição. De lá pra cá, viveu altos e baixos com a camisa rubro-negra. Mais altos do que baixos. Desde vaias até herói de uma classificação.

Diego Alves também tem passagem pelas Seleções Brasileiras Sub-19, 20, 21, Olímpica e Principal.

Na Libertadores

Nessa edição da Copa Libertadores, Diego Alves disputou as 11 partidas até aqui, sofreu nove gols, ficou quatro jogos sem ser vazado e já defendeu duas penalidades, sua maior especialidade. Caso conquiste o tão sonhado título, Diego, assim como o restante do elenco, ficará marcado na história do clube, juntando-se a Raúl (Goleiro campeão em 1981).

Neste sábado, Diego Alves, sem dúvidas, fará o jogo mais importante de sua carreira. Será herói ou vilão? Esperamos que o goleiro esteja num dia iluminado e defenda todas as bolas que forem na direção do nosso gol.

Veja mais: O Caminho para Lima – Parte 1

Enzo Siciliano
Carioca, 20 anos. Estudante de Jornalismo e apaixonado por futebol em sua essência. Obcecado por táticas e estatísticas.

A grande final: informações relevantes ao público

Previous article

Como de costume, torcida e time jogarão juntos mais uma vez, agora pela Copa

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TABELA