Colunas

Flamengo, o time mais odiado do Brasil

0

O Flamengo é o time mais querido do mundo, porém é sem dúvidas, o mais odiado do Brasil. Digo isso sem medo de errar e confesso,com certa preocupação.

Em um final de semana que o Rubro-negro finalizou de forma gloriosa, conquistando uma das Libertadores mais difíceis dos últimos tempos, aonde enfrentou 5 campeões do torneio, e foi Campeão Brasileiro com 4 rodadas de antecedência batendo vários recordes, o que vimos à reboque foi um show de bairrismo e inveja: O sucesso alheio incomoda os pobres de espírito.

Vamos aos fatos: Confesso que a cobertura do Flamengo na final da Libertadores foi extensa, e até em alguns momentos exagerada, principalmente para quem não é flamenguista, mas entendam que não existe almoço grátis, a Globo, a Fox e os demais canais que fizeram essa cobertura não o fizeram por amor ao Flamengo e sim por saber que se trata de um produto que trás retorno.

O Flamengo é visto como um produto para os canais de TV, e um produto que lhes garante o maior mercado consumidor do Brasil. Dito isto, vimos uma série de “comentaristas” atacando essas coberturas dizendo que estavam endeusando o Flamengo, que não precisava de nada daquilo e comparando à eventos anteriores de clubes, com todo o respeito, sem metade da capacidade mercadológica do Flamengo.

Isso foi apenas o final de uma série, que durante todo o ano tivemos que engolir, de pessoas mal preparadas assumindo seus microfones e teclados e falando absurdos sobre tudo o que o flamengo fazia ao longo do ano.

Ódio travestido de opinião

Desde a “injustiça” à Abel, ao “Fraco” Jorge Jesus, de “Rafinha é do mesmo nível de Rodinei e Pará” ao “Filipe Luís não é o lateral que o Flamengo precisa“, desde “Rodrigo Caio não serve para o Flamengo” até o “Zagueiro da 2ª divisão espanhola” que não era reforço para o Flamengo. Não vou continuar pois vocês conhecem toda essa história, que explicitou a falta de análise e a destilação de ódio.

Infelizmente é nítida a má vontade e o ódio nutrido por muitos que deveriam estar analisando e ao invés disso colocam suas opiniões pessoais e carregadas de preconceitos quando o assunto é Flamengo.

Vimos isso quando um menino negro com 17 anos fez sucesso pela seleção sub-17 e chamou a atenção do mundo, mas aqui sempre foi o “Negueba Junior”, o menino mídia, simplesmente porque era do Flamengo.

Vemos isso quando de forma desonesta e maldosa, questionam à todo momento de onde vem o dinheiro do Flamengo, mesmo com tantas provas de transparência já dadas. Não é por dúvida, é leviandade. é tentar levantar uma dúvida sobre a idoneidade de uma instituição.

E quando não tem mais argumentos para atingir o Flamengo, agora eles utilizam de tudo aquilo que mais dói em cada rubro-negro: Falam sobre os nossos garotos. à cada vitória, conquista sempre vem com a frase: “paguem as famílias”, um ódio travestido de preocupação, que só escancara a falta de sensibilidade com a dor do ser humano.

Hoje a polêmica da vez é o título de 87, que todo torcedor intelectualmente honesto e que ama futebol não tem dúvidas sobre quem venceu a primeira divisão de 87, mas que por tratar-se de Flamengo, é usado como forma de diminuir e disseminar parte do ódio que se sente.

Rivalidade sim, ódio não!

Não estou me referindo à rivalidade, essa é sadia e faz bem ao futebol, mas ao ódio desmedido, que cega quem o comete e o faz desviar até dos seus princípios. Sejam racionais ao analisar, pois quem propaga ódio, não vai colher amor.

Para atacar o Flamengo, esquece-se de preceitos básicos, e usa-se as mais veladas formas de racismo, preconceito, xenofobia.

O Flamengo é o time mais odiado do Brasil, mas ainda, e cada vez mais, se torna o time mais amado do mundo, campeão, bem gerido e se deixando amar por todos, para desespero dos detratores e para reflexão daqueles que insistem em ser passionais quando precisam ser profissionais, ou simplesmente, humanos.

O Flamengo não merece ser odiado. Afinal, como dizia o Jornalista Mário Filho: “Por que o Flamengo tornou-se o clube mais amado do Brasil? Porque o Flamengo se deixa amar à vontade”.

SRN!

Jerônimo Simeão Júnior

Mister agora é um cidadão carioca

Previous article

Rodada 35 – Cartola FC 2019 dicas

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do site ? Espalhe essa onda Rubro Negra

Instagram