Futebol Profissional

Flamengo tem início instável no Brasileirão Feminino

Feminino
Foto: Flamengo / Divulgação
Foto: Flamengo / Divulgação

No início de fevereiro, foi dada a largada do Campeonato Brasileiro Feminino. O Flamengo, que já conquistou a competição uma vez em 2016 – e foi semifinalista nas últimas duas edições – está em busca do bicampeonato nacional para afirmar a sua superioridade no futebol, tanto no masculino quanto no feminino.

Para o ano de 2020, o clube anunciou, em janeiro, um pacotão de reforços para o time feminino. Sete jogadoras foram contratadas para o plantel principal: Jayanne, Annaysa, Edna Baiana, Carlinha, Dantas, Kelly e Michelle Carioca. Mais duas subiram das categorias de base. Isso foi para repor as perdas de 2019, quando nove jogadoras deixaram o time.

O futebol feminino do Flamengo possui uma parceria com a Marinha, onde o grupo das Forças Armadas cuida da montagem do elenco, determina quais competições priorizar e é o dono do centro de treinamento das garotas, o Cefan, por exemplo. O Flamengo gasta apenas com supervisor, treinador de goleiras e manutenção dos gramados desse CT.

Leia também: Supercampeão do Brasil: Flamengo conquista a Supercopa

A parceria é dita como vantajosa para ambos os lados, mas uma parte da torcida do Flamengo cobra mais atenção e comprometimento do clube com o time feminino. De acordo com o blog Dibradoras, na final do Campeonato Carioca Feminino do ano passado, pôde-se ouvir das arquibancadas: “não é mole não, assume logo o feminino do Mengão”, com gritos direcionados à diretoria. De acordo com matéria do Extra de junho de 2019, o orçamento do Flamengo para futebol feminino é de apenas R$ 1 milhão, o equivalente a 0,13% do superávit total do clube (R$ 752 milhões).

O início do Brasileirão: dois revés em três partidas

O torneio tem 16 equipes e cada uma se enfrenta uma vez, totalizando 15 rodadas. Ao final delas, as 8 melhores equipes são classificadas para as quartas-de-final, seguindo em mata-mata até a final.

O Flamengo estreou perdendo para o Santos por 4 a 0, na Vila Belmiro. Em seguida, as Meninas da Gávea conseguiram se recuperar e venceram a Ponte Preta por 3 a 0, com gols de Raquel, Carlinha (um dos reforços para 2020) e Flávia.

Foto: Marcelo Cortes / Flamengo

Pela 3ª rodada do campeonato, disputada ontem, o Flamengo recebeu o São Paulo no estádio Giulite Coutinho. O Tricolor Paulista marcou o primeiro gol aos 5 minutos, mas o Rubro-Negro logo empatou, com gol de cabeça da capitã Renata. Mas o São Paulo conseguiu voltar à frente do placar ainda no primeiro tempo e ampliar aos 17 minutos da segunda etapa. O placar final foi 3 a 1 para os paulistas.

O São Paulo foi melhor e criou mais chances. A goleira do Flamengo, Kaká, fez grandes defesas e evitou que o placar fosse ainda maior. Foram duas derrotas que devem ligar o sinal de alerta. Ainda faltam 12 rodadas, mas é essencial conquistar pontos no início do campeonato. As Meninas da Gávea estão na 12ª colocação, com 3 pontos. O próprio São Paulo abre a zona de classificação, na 8ª posição, com 4 pontos – 1 ponto de diferença para o Fla. A vantagem pode ser revertida logo.

O próximo jogo do Flamengo pelo Brasileirão Feminino será contra o Minas Icesp, em 1º de março, domingo, às 15h. As oponentes estão uma colocação acima do Flamengo, com o mesmo número de pontos (3 pontos, com 2 derrotas e 1 vitória).

Gabriel Salotti

Amante do futebol e apaixonado por Flamengo. Frequentador de Maracanã, boteco em dia de jogo, recepção de jogadores e de AeroFlas. Estudante de jornalismo no 7º período pelo Ibmec-RJ.

Adicionar comentário

Clique aqui para publicar um comentário

Colunistas

Gabriel Salotti

Amante do futebol e apaixonado por Flamengo. Frequentador de Maracanã, boteco em dia de...

Gabriel Salotti

Amante do futebol e apaixonado por Flamengo. Frequentador de Maracanã, boteco em dia de...

Gabriel Salotti

Amante do futebol e apaixonado por Flamengo. Frequentador de Maracanã, boteco em dia de...