FlaBasquete: Campeões de caráter!

18
1518
Foto: Divulgação Flamengo

O FlaBasquete atingiu no penúltimo sábado seu 6° titulo de NBB.

Contudo já são 7 títulos brasileiros reconhecidos e ainda mais 4 da época amadora do esporte (1934, 1949, 1951, 1953) quando ainda era gerido pela extinta CBD.

Aliás a atual confederação, pode até não reconhecer os títulos dessa época, o que é lamentável, pois grandes nomes do nosso basquete como Kanela e Algodão, fizeram parte dessa geração.

Certamente não concordo com o clube não citar esses títulos, afinal nosso basquete é centenário, e cada pedaço de história  é importantíssimo  para o que temos hoje no clube e também no basquete brasileiro.

Decerto que o campeonato conquistado no ultimo fim de semana mostrou não só o quanto nosso clube é grande na modalidade, mas o quanto a nossa camisa é de tradição.

FlaBasquete: Um elenco renovado.

Todos sabemos como o time foi reformulado para essa temporada, conquanto uma mudança nesses moldes, pode alterar a forma de um time jogar.

Adaptação, forma de jogo, características entre outros aspectos, contam e muito nesse processo.

Do elenco da temporada anterior, apenas Marquinhos, Olivinha e Anderson Varejão, permaneceram.

Certamente podemos e devemos respeitar todas as equipes que fazem o NBB ser cada dia mais forte, entretanto é inegável que jogar no Clube de Regatas do Flamengo, é algo diferente para qualquer desportista que tem a honra de vestir esse Manto.

Não vou dizer que o peso afetou alguns, mas a cobrança é  infinitamente maior do que vestindo outra camisa.

Os caras passam a ser mais vistos, mais seguidos, curtidos. Suas redes sociais ganham fãns consideráveis; E certamente jogarão com torcida em todos os cantos que o time for, e isso é de uma responsabilidade absurda, pois acabam sendo meio que embaixadores do clube, por estar em lugares que o clube não visita com frequência, aproximando torcedores que ficam longe da sede, com o próprio clube.

Sul-americana. Nosso 6° titulo de NBB, começou ali.

Foi afinal com uma derrota, que o título do NBB 2018/2019 começou a ser moldado.

No quadrangular semifinal jogado dentro de casa pela Liga Sul-Americana o FlaBasquete não conseguiu a classificação para fase final, assim viu o sonho de ganhar seu segundo título da competição, escapar pelos dedos.

Aliás em um grupo com 4 times (Flamengo, Minas, Bauru e Instituto de Córdoba-ARG), vencemos as equipes brasileiras, mas perdemos para equipe argentina em um quadrangular onde mesmo nas vitórias o time não esteve bem.

Com a desclassificação e uma cena rara para o Flabasquete que foi sair vaiado pela torcida em um jogo, a chave da equipe começou a mudar e parece que cada um começou a entender de fato o que era jogar no Flamengo.

O Craque Oscar Schmidt, fala que ainda mais do que a vitória, a torcida do Flamengo exige que quem vista o Manto Sagrado, mostre vontade e deixe tudo dentro de quadra. E foi isso que começamos ver depois da sul-americana.

FlaBasquete: Homens de caráter!

Não há nada mais característico em uma equipe de basquete onde o foco é a defesa, do que a raça.

A parte defensiva acaba evidenciando uma vontade a mais, pois para recuperar a posse de bola os jogadores acabam fazendo jogadas absurdas, que  chamam  e muito atenção da torcida.

Na grande final do NBB, chegaram 2 equipes com características bem diferentes. Uma com o melhor ataque, e nós com uma defesa implacável.

Vamos ver como cada jogador se moldou nesse NBB

Jhonatan Luz 
Foto: Divulgação Flamengo

Foi um dos 3 jogadores vindo do Paulistano com status de atual campeão. Sua posição original é Ala, posição do maior jogador da posição no país, que por acaso joga no FlaBasquete. Sabia que dificilmente começaria jogando, mas foi importantíssimo vindo do banco. Assim deu consistência a defesa e terminou a temporada com uma média de 17,6 minutos por partida. Cara extremamente educado, acessível. Terminou o campeonato com uma média de 5,7 pontos e 2,8 rebotes por partida.

Em um dos seus relatos fala que a chegada da torcida no Pedrocão na partida 5, pareceu uma cena do filme “300”. “O que eles ali fizeram foi algo mágico”

David Nesbitt
Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Nascido nas Bahamas o ala/pivô chegou ao Flamengo  também tendo como clube anterior  o Paulistano.

Sua média na temporada foi de 17 minutos em quadra, com 7.4 pontos e 4 rebotes. Chegou a começar algumas partidas como titular, mas sabemos o quanto titularidade no basquete é relativo. Foi importante na rotação da equipe, e por várias vezes decisivo.

Contudo teve como recorde pessoal, a primeira partida de quartas de final contra o Corinthians, onde marcou 22 pontos.

Rafael Mineiro
Foto: Marcelo Cortes

O Pivosão que anteriormente havia sido campeão com o Flamengo no NBB 2015/2016, esteve em Franca na ultima temporada, e fez excelentes atuações principalmente na defesa.

Entretanto voltou para o clube com o objetivo de revezar com Anderson Varejão no garrafão, e fez uma ótima temporada com o objetivo que foi proposto.  Foi importantíssimo para dar ao Flamengo o titulo de melhor defesa, e mais importante ainda para ajudar garantir o titulo do campeonato. Soube ouvir as criticas direcionadas a ele de forma inteligente. Ouviu, absorveu, trabalhou para melhorar, e foi gigante na fase final.

Contudo obteve uma média de 19,7 minutos na temporada, 6.6 pontos, 4.7 rebotes, eficiência de 8.7. E um gosto especial de conquistar seu 2° NBB, dentro de um ginásio que pegou no seu pé durante toda série.

Davi Rossetto
Foto: Divulgação Flamengo

Veio para o Flamengo saindo de um clube onde era o grande destaque. Aliás saiu do Basquete Cearense, ovacionado e deixando saudades. Chegou no clube consciente que de longe seria a grande estrela. Todavia se colocou como operário, e fez um campeonato onde cresceu aos poucos.

A principio parece ter sentido a mudança de ares, ainda assim foi entendendo que precisava se firmar para dar opção ao técnico quando Balbi estivesse fora.

Com efeito sua média na temporada foram cravados 20 minutos, 13 a menos do que na temporada passada. Foram 5 pontos por partida e 2.9 em rebotes.

Revelou que precisou mudar um pouco suas características, mas que foi uma temporada valiosa e de muito aprendizado.

Uma reta final espetacular!
Kevin Crescenzi
Foto: Marcelo Cortes

Nascido em Nova Jersey,EUA mas com dupla nacionalidade por ter mãe brasileira, o ultimo reforço do FlaBasquete para a temporada veio da equipe da Liga Sorocaba.

Mesmo com o time não indo bem, o jogador se destacou, pois chamou atenção  da comissão técnica Rubro-Negra.  Logo que chegou ao Flamengo teve uma contusão, e ficou de fora nas primeiras partidas da pré- temporada.

Voltou com pouco espaço no time, mas soube trabalhar da forma mais profissional possível. Começou como titular em algumas partidas, mesmo assim fez poucos minutos nos jogos.

No entanto terminou a temporada de forma impecável, certamente sendo um dos responsáveis diretos pela defesa espetacular da equipe nos 2 últimos jogos.

Kevin foi prova de que trabalho com seriedade leva a recompensa.

Muito elogiado pelo fisioterapeuta do clube Ricardo Machado pelo profissionalismo.

A média da temporada foi de 10.3 minutos. Foram 3.1 pontos por jogo. No último jogo foram 15 minutos em quadra, com uma defesa implacável em cima de David Jackson.

Deryk Ramos
Foto: Marcelo Cortes

Um dos jogadores mais introspectivos do elenco, entretanto um dos mais bem falados pelos companheiros.

Deryk revezou “titularidade” com Crescenzi durante a temporada. Sempre foi discreto nas partidas, porem muito importante em muitas delas. É daqueles jogadores que não é de aparecer muito para torcida, porém nunca foi de se omitir e isso foi visto na ultima partida do campeonato.

No último quarto do ultimo jogo da temporada, Deryk chamou a responsabilidade pra si, e anotou 12 pontos, dos 25 feitos pelo FlaBasquete no quarto.

Com o titulo, chegou ao Bi nacional. Veio do até então campeão Paulistano, e continuará atual campeão na próxima.

Deryk ainda tem mais uma temporada pelo Flamengo, e promete se destacar ainda mais com a camisa do clube.

Os Grandes craques. Na Hora certa, decidiram.
Anderson Varejão
Foto: Marcelo Cortes

Campeão de tudo na vida, Varejão buscava seu primeiro titulo nacional. Chegou ao Flamengo na temporada passada, precisou se adaptar, e cresceu de forma absurda com a chegada de Balbi no time.

Foi humilde, e de muita hombridade em ouvir criticas. Se encaixou no novo estilo de jogo do clube. Se reinventou mesmo tendo na bagagem Liga ACB, Euroligue, NBA. E juntou a todos esses títulos o NBB.

Se emocionou ao final da partida como nunca antes. E sem dúvidas foi um grande personagem dessa série sendo monstruoso em bolas recuperadas. Média de 20.5 minutos e 10.1 pontos por partida. Colaborou em média com 6.9 rebotes.

Franco Balbi
Foto: Marcelo Cortes

O Argentino veio com uma curiosidade pouco notada. O nome do meio é Nicolas. Lembrando que o ultimo argentino que deixou muitas saudades para a torcida Rubro-Negra, foi justamente Nicolas Laprovittola.

Balbi parece em nenhum momento ter sentido a troca de ares; a camisa do Flamengo, tão pouco a maneira de jogar em outro país. Ao contrário, fez o time jogar, deu ritmo de jogo a Varejão, e distribuiu assistências espetaculares durante a temporada.

Nas partidas finais, cadenciou bem o jogo, e nos momentos de descontrole do time, colocou a bola de baixo do braço e tratou da melhor forma dando calma ao jogo. Foi um verdadeiro maestro.

Uma das maiores médias do time em tempo com 26.4 minutos. Foram 10.8 pontos e 5.7 em assistências.

Olivinha
Foto: Marcelo Cortes

O Nosso Deus da raça  depois de 2 temporadas a baixo do que esta acostumado, voltou fazer uma em altíssimo nível.

Não se destacou apenas pela grande raça ovacionada por todo Rubro-Negro, mas também sendo muito importante na parte ofensiva do time.

Terminou com 20.1 de média, 12.2 pontos e 5.7 em rebotes. E nada mais nada menos que o grande MVP das finais.

Marquinhos
Foto: Marcelo Cortes

O Grande nome dos últimos anos no clube. Assumiu o protagonismo, foi MVP da temporada passada, mas não gostou de ter excelentes números individuais e mesmo assim não levar o time ao titulo.

Mais um que soube se reinventar. Passou olhar mais para os companheiros, se despiu da vaidade e entregou ao time mais um campeonato! Ao lado de Olivinha, Gegê e Marcelinho Machado detêm o maior número de NBBs da história. Ao todo cada um tem 5. E tirando Gegê que tem 1 com o time do Bauru, todos os outros dos citados, conquistaram pelo FlaBasquete.

Maior média em quadra entre nossos jogadores com 28.1 minutos. Em pontos também com 15.5 pontos. Ainda contribuiu com 4.2 rebotes, e foi disparado o melhor em eficiência com 15.6.

De alguma forma, todos jogadores precisaram mudar um pouco suas características para alcançar nosso décimo primeiro brasileiro, mas tenho certeza que valeu a pena para cada um deles.

Gustavo de Conti teve em suas mãos verdadeiros homens, que mesmo com os atritos normais do dia a dia conseguiu fazer o time jogar, e  terminar a temporada da melhor forma possível.

Foto: Marcelo Cortes

Agora é descansar e já preparar a próxima temporada. Alguns nomes infelizmente sairão, e o Redação Rubro-Negra agradece a todos por terem honrado o FlaBasquete. Ademais outros irão chegar, como o super jogador americano Zach Graham; mas o importante, é que se mantenha essa filosofia, e esse caráter no time. Onde não aceitam de forma alguma a acomodação, e onde o foco principal é respeitar nosso valioso escudo! Nossa valiosa camisa!

@RmuloCunha

18 COMENTÁRIOS

  1. Marquinhos é monstro d mais. Olivinha é pica. De arrepiar a matéria. Deu pra sentir a empolgacao daqui. Parabens aos envolvidos………

    • Se esse americano estiver vindo mesmo o time já vai ficar ainda mais forte. O cara fez uma campanha muito boa em BSB. Gostei das análises. Do lado humano. Poderia falar mais d basquete e de outros esportes do clube. Vai começar o futebol americano e o Flamengo vem com time pra brigar.

      • Pois é Maicon o americano deve ser anunciado nos próximos dias. Primeiro o clube esta anunciando as renovações, afinal tem que dar moral a quem já esta no elenco. Quanto ao futebol americano faremos o possível para deixar as noticias atualizadas. Vlw por estar com a gente meu parça. Aqui é feito de torcedores, para torcedores!!

  2. Mais detalhado impossível. Primeiro foi uma temporada pica das galaxias. A final foi histórica. Ganhar dentro d Franca foi bom pra carar….. eu eatava la. Acompanho futebol, e digo q esse jogo foi uma das emoções mais siniatras q tive. Calar aquele ginásio foi foda. Vcs relataram de forma precisa o que foi e como foi. Cada jogador. A mudança de postura. A entrega. Tudo q gostariamos d ver no nosso futebol. Textasso mano. De um bom gosto pica. De uma sensibilidade absurda. Show d mais.

    • Po cara fico feliz e farei o possível pra vir sempre com textos que me aproximam de quem escreve. Sou apaixonado por esse esporte, e fico muito feliz em saber que estão gostando do que escrevo. Continue com a gente. É só o começo….

  3. Po materia boa pra caramba. Gosto de acompanhar vcs aqui e tbm nas redes sociais. Mas o site esta parado. Na verdade muito parado. Ontem nâo teve nada

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here