Notícias

Estádio do Maracanã na Pandemia do Covid-19: 70 anos entre futebol e ação social.

O Estádio do Maracanã, no auge dos seus 70 anos, receberá mais uma ação social: um hospital de campanha na luta pelo controle do Covid-19. Mais uma ação social dentre muitas realizadas no estádio. 

Além de templo do futebol mundial e casa oficial do Flamengo, o Estádio do Maracanã foi e continua sediando importantes ações sociais para a sociedade brasileira, no contexto da atual Pandemia do Covid-19. É a primeira vez na rica e brilhante história do estádio mais famoso do mundo que um hospital de campanha será construído no Complexo Maracanã. 

Vestibular Unificado – Fundação CESGRANRIO, 1972.

Vestibular Unificado - Fundação CESGRANRIO (1972).
Foto: Acervo – O Globo.

Ação social é aqui compreendida, numa perspectiva sociológica, como atividades promovidas por diversos agentes sociais, como empresários, governos, organizações não-governamentais, dentre outros, que promovam a cidadania. Ação social, portanto, que é um evento que deve intensificar o acesso a direitos para a população, como saúde, educação, lazer, segurança, trabalho, ao voto, dentre outros.

O Estádio do Maracanã, nesse sentido, sediou em 1972, o vestibular unificado da Fundação Cesgranrio a partir da ordem emanada do Ministério da Educação. Pelo grande número de candidatos e da coincidência de datas de vários exames de acesso à universidades, o MEC decidiu utilizar o estádio “para atender ao grande número de candidatos”.

O vestibular unificado colocou candidatos às principais universidades públicas do Brasil em suas históricas e memoráveis arquibancadas de cimento. É válido sublinhar que o acesso às universidades no país era um artifício de luxo dedicado à elite, com maior poder financeiro.

As provas no Estádio do Maracanã representam um marco de um novo tempo em que, paulatinamente, as classes menos favorecidas começariam a ter mais acesso à educação superior brasileira.

O acervo do Jornal O Globo traz algumas matérias sobre estas atividades de cunho social que um estádio do futebol sediou. O mesmo “espetáculo” de concursos vestibulares, segundo o jornal carioca, acontecia no Mineirão, em Belo Horizonte, quando os estudantes eram submetidos ao forte calor e à luz do sol no rosto por várias horas para responder provas de múltipla escolha. 

Nos anos 1978, 1987 a 1989, o Estádio do Maracanã também conferiu grande felicidade às famílias e crianças brasileiras e cariocas com a Chegada do Papai Noel. O evento reunia grande público em mais uma ação social realizada no estádio.

O público presente no Estádio do Maracanã viu apresentações dos Trapalhões, constituídos por Dedé, Mussum e Didi Mocó. Além deles, o grupo musical “As Frenéticas” e artistas do programa “Sítio do Picapau Amarelo (1977)” também estiveram presentes no evento social.

Em 1978, o Estádio do Maracanã recebeu cerca de 250 mil pessoas para assistir ao espetáculo que era transmitido em rede nacional pela Rede Globo.

Papai Noel chega ao Maracanã (1987) 

Papai Noel chega ao Maracanã.
Foto: Reprodução.

No Novo Maracanã, construído para a Copa do Mundo de 2014, o Flamengo vem alcançando resultados impressionantes, principalmente, após a chegada do técnico Jorge Jesus ao time. Além disso, o estádio foi palco da final da Copa do Mundo de 1950, quando viu o Uruguai sagrar-se bicampeão mundial, da final da Copa do Mundo de 2014, quando viu a Alemanha conquistar a quarta estrela mundial.

O Novo Maracanã também foi palco da abertura, do encerramento e das finais do futebol nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Além das comemorações dos títulos do heptacampeonato brasileiro (2019) e do bicampeonato da Copa Libertadores 2019, do Flamengo.

Em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus ou Covid-19, vários campeonatos de futebol e de diversos outros esportes pararam ao redor do planeta. E, assim, o Estádio do Maracanã será vizinho em seu complexo, de um hospital de campanha construído pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, no seu aniversário de 70 anos, em 2020.

A estrutura será utilizada para atender pacientes com Covid-19 e será montada no Estádio Célio de Barros, em razão do pedido feito por Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, ao governador Wilson Witzel (PSC) para preservar o gramado.

Flamengo e Fluminense, atuais gestores do Maracanã, chegaram a um acordo nesse sentido com o governo estadual que detém o estádio.

Hospital de Campanha no Maracanã (2020). 

 

 

 

 

Foto: Jornal O Globo.

O Hospital de Campanha do Maracanã terá cerca de 400 leitos espalhados pelo Estádio Célio de Barros, no Maracanãzinho e no Parque Aquático Júlio Delamere, em mais uma importante e crucial ação social promovida nos domínios do maior templo do futebol mundial.

Vida longa ao Maracanã e SAÚDE para todos nós!

Etiquetas

Leonardo Mattos

Leonardo Mattos é professor de Geografia, especialista em Cidades e Políticas Urbanas e pós-graduando em Educação Básica. Também é graduando em Letras/Língua Portuguesa e rubro-negro apaixonado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar