Futebol ProfissionalNotícias

E se você fosse o técnico?

Todo mundo reclama de um ou outro jogador no time titular do Flamengo, não é? Mas e se quem reclama tivesse a responsabilidade de ser o técnico por um dia?

O Redação entrou em contato com alguns influenciadores, e perguntou a eles como eles armariam o time do Flamengo se eles fossem os técnicos. E aí, qual você acha que armou o time de melhor maneira?

Reikrauss e Juan – Fla da Depressão

Reikrauss não brincou em serviço, e optou pela seguinte escalação – Diego Alves, qualquer um, Leo Duarte, Rodrigo Caio, Trauco, Piris da Mota, Cuellar (segundo volante), Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol.

O motivo de jogar com Piris da mota e Cuellar, é porque daria mais liberdade ao Trauco para atacar. Mas ele reconhece que teriam algumas fraquezas: “O problema é que, com a saída do Arão, o time fica baixo demais. Isso é um perigo na bola área. Cuellar e Piris da Mota são baixos.”

Já para o padrinho, colocar Piris pra fazer a dupla na volancia com Cuellar aumentaria o poder de marcação, já que Trauco tem essa deficiência nesse quesito, mas no ataque tem muita precisão no passe, diferente do Renê que é seu oposto. Já Arrascaeta entraria no lugar do Diego por ser um jogador muito mais agudo, de passe melhor e que pensa muito mais rápido.

A formação de Juan e Reikrauss:

Paparazzo Rubro-Negro e Yanca

A dupla preferiu mexer pouco no time de Abel, sua escalação foi a seguinte: Diego Alves, Pará, Leo Duarte, Rodrigo Caio, Renê, Cuellar, Arão, Diego, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol.

Para Papa, o time está bem desse jeito, e que ainda vamos ter muitas alegrias com essa formação.

Yanca explicou sua opção: “O goleiro e a zaga são inquestionáveis, o Pará embora longe do que a gente queira é melhor que o Rodinei e tem sido menos pior nos últimos jogos, o Renê tem jogado bem desde o ano passado, começou mal mas temos que reconhecer que melhorou e muito. Cuellar é absoluto, embora o time perca em talento deixando o Arrascaeta no banco e o Arão jogando, o time perderia poder de marcação e jogadas aéreas (lembrando que a zaga é baixa, os laterais e o Cuellar também). Hoje a disputa é entre Diego e Arrascaeta, porque o Éverton Ribeiro é o melhor do time, Bruno Henrique é o jogador com características de velocidade e Gabigol é centroavante. E hoje, na minha opinião, o Diego tá jogando mais que o Arrascaeta, que tem que ganhar a posição no campo e não no valor; até agora não ganhou.”

Esse seria o time:

Tozza, Brabinho e Bianca

A formação escolhida pelo trio seria com Diego Alves, Pará, Leo Duarte, Rodrigo Caio, Renê, Cuellar, Diego, Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol.

Eles optaram por recuar Diego para a vaga de Arão, e a entrada de  Arrascaeta como meia pela esquerda. Segurando mais as subidas dos laterais (Renê e rainha quando chegar) para auxiliarem Cuellar e liberando mais os meias, numa espécie de 4-1-4-1, ele acha que o time renderia mais.

Para Tozza Diego Faria bem essa posição, pois já está fazendo hoje, visto que Arão é mais meia que volante, Brabinho frisou que nessa formação o foco seria na qualidade dos jogadores e Bianca acha que essa formação daria oportunidade do Arrascaeta se entrosar com o time titular e poder mostrar o futebol dele atuando com um time mais “qualificado”.

A formação deles seria assim:

E você? Se você fosse o técnico, como montaria o seu time? Comente abaixo sua formação e compartilhe com seus amigos!

Saudações da equipe Redação Rubro-negra! Acesse nossas redes! 

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar