Futebol Profissional

É hora do Flamengo pensar no banco de reservas

0

Ter boas peças de reposição é essencial para o calendário desgastante e recheado de competições que temos no Brasil

Muito se fala sobre a qualidade do elenco rubro-negro. Hoje, qualquer comentarista de futebol coloca o plantel do Flamengo no top 3 do país. Porém, acho que o nível técnico de determinados nomes é bem questionável. Sendo assim, é hora do Flamengo pensar no banco de reservas.

Não temos um elenco tão forte como dizem

Até hoje não me esqueço do jogo de ida contra o Emelec, pela Libertadores. Sem contar com nomes como Arrascaeta e Everton Ribeiro, precisamos recorrer aos suplentes. Claro que craques como os desfalques que tínhamos farão falta em qualquer a situação. Mas o que aconteceu naquele dia foi um claro sinal de que precisamos ligar o sinal de alerta.

elenco do flamengo

O que aconteceu? No momento mais importante do ano até então iniciamos a partida com Rafinha improvisado no meio campo e o criticado Rodinei retornando para a equipe titular. Ao sair em desvantagem no placar e buscando diminuir o prejuízo eis que entram os possantes Berrio, Lucas Silva e Lincoln.

O colombiano vive até hoje do lance contra o Botafogo na Copa do Brasil 2017, muito esforçado porém sofre com limitações técnicas. Lucas Silva é daqueles casos que você se pergunta como conseguiu chegar aos profissionais. Além de não acertar um drible sequer entregou de bandeja a bola que resultou no segundo gol do Emelec.

Lincoln subiu da base com status de grande promessa após excelente parceria com Vinicius Jr na base. Se esperava muito dele e até agora nada além de um ou outro gol isolado. Acredito que deveria ser negociado antes de uma desvalorização que é eminente.

Ainda poderia citar o superestimado Piris da Motta, que até tem muita vontade, mas também se mostrou limitado tecnicamente.

Quais são as necessidades?

Primeiramente a vinda de um zagueiro mais experiente. Rhodolfo não deve permanecer no clube e precisamos de pelo menos quatro nomes consistentes, uma vez que já temos Rodrigo Caio, Thuller e Pablo Marí. Na lateral direita ainda aguardo uma oportunidade para o jovem João Lucas, vindo do Bangu. Mas a disparidade técnica entre Rafinha e Rodinei fica complicado manter.

No meio, a chegada de Gerson abriu um leque de possibilidades para Jorge Jesus. Mas com uma inevitável saída de Cuellar e as limitações do Paraguaio Piris, um novo nome é necessário e deveria ser mapeado desde já.

No ataque a disparidade é surreal. O mais razoável dos suplentes é Vitinho, que ainda não se encontrou no rubro-negro, Vejo uma carência de jogadores mais habilidosos, com poder de drible capaz de quebrar defesas. Além claro, de um homem de área que já está sendo sondado pela diretoria.

Com tais observações acredito que fica evidente que temos muito o que melhorar. Por isso afirmo: é hora do Flamengo pensar no banco de reservas.

Leandro Conceição
22 anos, estudante de Jornalismo da UFRRJ. Apaixonado por futebol e flamenguista desde que me entendo por gente.

Jesus opera milagres: da oscilação à consistência

Previous article

Flamengo recebe o Inter pela Libertadores

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *