Futebol ProfissionalHistória do Flamengo

Do ouro precioso e o azul do mar ao vermelho e preto que nos encanta

A nossa maior paixão é repleta de histórias maravilhosas. Uma delas, é sobre as nossas cores. O vermelho e preto é a maior marca da nossa paixão, mas nem sempre foi assim. Na noite do dia 17 de novembro de 1895, era fundado o Clube de Regatas do Flamengo, na mansão de Nestor Barros, na praia do Flamengo.

Do ouro e azul ao vermelho e preto

Lá, onde se encontrava a Pherusa e depois a Sycra, foi acordado em reunião, a fundação do clube, que seria representado pelo ouro, das riquezas brasileiras e pelo azul, da Baía de Guanabara; além de entrarem em consenso para definir a data oficial da fundação como dia 15 de Novembro, já que, nesse caso, no dia do aniversário do clube sempre seria feriado (proclamação da república).

As cores fortes que marcaram o começo de uma nação, não se firmaram por muito tempo, pois em 1896, o C.R.F passou a ser vermelho e preto, em alusão as cores do Jockey Clube. Desde então, mantivemos as apaixonantes cores rubro-negras (vermelho e preto).

O que motivou a troca das cores, foi a dificuldade na importação do material, que vinha da Inglaterra e frança, além da facilidade no desbotamento dos uniformes, que por conterem cores fracas, eram altamente prejudicados pela grande salinidade das águas da Baía de Guanabara.

o Rubro-Negro, do sangue a pouca luz

Muitos não sabem o que significa verdadeiramente “rubro-negro”. O “rubro”, vem do latim e significa vermelho (cor de sangue) e o “negro”, significa a ausência de luz (preto) na sua composição. As cores atuais, sem duvidas, representam muito mais o clube. Desde a fundação do futebol no Flamengo, sempre foram utilizadas tradicionalmente as cores vermelho e preto no uniforme.

Em 2010, a Olympikus saiu dos padrões e lançou um uniforme com as cores antigas, porém, a ideia não foi bem aceita pela torcida, que apelidou o time daquele ano de Tabajara, como o time do programa Casseta e Planeta, que fazia sucesso.

Foto: Flamengo – 2010 – Leo Moura, Ronaldo Angelim e Juan com a camisa “Tabajara”

Em 2017, a Adidas também ousou e lançou o uniforme 3 com as cores do começo de tudo. Porém, estrategicamente, para não cometer o mesmo erro da Olympikus, eles lançaram uma votação no site oficial, para que os próprios torcedores decidissem qual seria o uniforme escolhido. Confira abaixo a escolha da torcida:

Foto: Flamengo – 2017 – Diego Ribas

Apesar de não ter sido tão criticado como o primeiro amarelo e azul vestido pelo nosso time de futebol, ele dividiu opiniões. Alguns acharam feio e disseram que não combinava com o Flamengo, enquanto outras partes, concordaram com a homenagem histórica.

Nos anos de 2010 e 2017, nos quais o Flamengo utilizou uniformes com as cores iniciais, não obtivemos muito sucesso no futebol, o que pode levar algumas pessoas a dizerem que a cor não traz sorte ao Mengão.  Vale destacar que a nossa torcida é bem supersticiosa, pois reclamam bastante do histórico do atual técnico Jorge Jesus com o “coletinho”, que segundo os mesmos, dá azar ao time.

Com muita história, o Flamengo, independente das cores, sempre foi tradicionalíssimo, com uma torcida apaixonada. O rubro-negro é uma das nossas maiores marcas, e colorimos o Brasil com o nosso maravilhoso vermelho e preto, ainda mais em dia de jogos. Uma das provas disso, ocorreu no dia 24 de Novembro de 2019, quando boa parte da nação se reuniu no centro do Rio de Janeiro para receber os campeões da Libertadores daquele ano. Entretanto, apesar da rejeição de partes com as cores antigas, o Clube de Regatas do Flamengo, jamais apagará de sua história as significantes cores do histórico clube de remo.

Um abraço, nação!

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar