Nas últimas duas semanas, além das polêmicas extra campo, em sua maior parte em assuntos ligados a Covid-19, o Flamengo ficou nos holofotes da mídia esportiva brasileira pelas excelentes atuações dos jogadores da base nas partidas do Campeonato Brasileiro e Taça Libertadores, considerando o grave e repentino momento de ausência obrigatória de quase todos os principais jogadores do elenco, envolvidos pela contaminação da doença.

  • Dinheiro para a base

Desde 2014, o Flamengo aumenta consideravelmente os investimentos para o departamento de futebol da base. Naquele ano, foram investidos quase sete milhões e meio de reais e daí em diante o investimento sempre aumentou ano a ano. Até o 1º semestre de 2020, foram investidos nesse ano mais de 52 milhões de reais. Com essas cifras, o Flamengo é o clube da América Latina que mais investe na formação de jogadores.

  • Criação de um novo departamento da base sob a batuta de um dirigente experiente

Em 2018, o Flamengo anunciou nova estrutura do futebol de base, mudança inspirada após o bom trabalho de Carlos Noval, comandante que até o referido ano estava a frente do setor com 77 conquistas da base, incluindo o tri campeonato da Copa São Paulo de Futebol Junior. No ano passado, o Flamengo conquistou os principais títulos nacionais e estaduais das categorias sub-17 a sub-20. Ainda em 2019, o clube cria a Gerência de Transição para adaptação e servir como elo dos jogadores da Base para o Profissional, com o objetivo de lapidar os jovens jogadores para a categoria mais alta do clube. Para o novo setor, o clube chama Noval para Gerente.

Carlos Noval, Gerente de Transição da Base – Fonte: GE.com
  • Busca no exterior com os melhores exemplos

Carlos Noval que também já havia atuado nas gestões de Patrícia Amorim e Eduardo Bandeira de Melo volta a para o setor que talvez tenha mais afinidade, o futebol da base. No comando da nova gerência, Carlos Noval visita clubes como Benfica, Porto, Real Madrid e Ajax, visando conhecer melhor a estrutura da base no futebol europeu e conseqüente troca de experiências e aprendizados, além é claro de expor ainda mais a marca Flamengo em todos esses locais.

  • As conseqüências na prática de um departamento bem dirigido

Criado o setor especializado em ajudar os garotos para migrarem ao futebol brasileiro, obter êxito dos jovens atletas aos profissionais foi conseqüência. Destaques recentes para nomes como o goleiro Hugo Moura, os zagueiros Gabriel Noga e Natan e o lateral esquerdo Ramon, que simplesmente não sentiram os pesos da camisa nem da importância das competições. Junto com a ajuda dentro de campo dos atletas mais experientes que atuaram, assim como do importante suporte da Comissão Técnica, foram chamados, vestiram a camisa e jogaram sem nada a comprometer.

  • O que tem de diferencial nesse novo departamento?

O setor realiza relatórios com informações completas de todos os jovens atletas envolvidos, indo com isso de forma mais profunda possível na busca de erros e melhorias de cada um. O departamento também promove a subida gradual de atletas que estão em melhor fase no momento para irem se familiarizando cada vez mais no ambiente profissional do clube. Nesse item, a ajuda e o suporte dos jogadores profissionais mais experientes é fundamental para a evolução dos jovens jogadores. Outra característica importante é que o técnico da categoria procura implementar os mesmos sistemas de jogo usado com os profissionais, o que facilita ainda mais o processo de transição de uma categoria para a outra.

  • O profissionalismo que começa antes de ser Profissional

O Flamengo evolui de forma constante e sem qualquer regressão, seja na administração do clube, como em todos os demais setores. Há dois anos um novo trabalho de excelência no futebol de base foi implementado e aperfeiçoado com a criação da Gerência de Transição de base. Lembramos também de toda a melhoria dada a infraestrura para base no CT, que hoje utilizam das mesmas instalações que há poucos anos eram usadas pelos Profissionais. Há um profissional de extrema qualificação no comando do departamento, o que evitará falhas e problemas mais corriqueiros no assunto. Há ainda pontos a melhorar, como em se evitar a forma equivocada do processo de transição do atleta Lincoln, durante a sua trajetória na base até os profissionais, um dos casos isolados que serve como alerta para que o problema não volte a se repetir com outras jóias, assim como manter a boa relação entre clube e empresários de atletas para que não se perca de forma tão precoce a saída de futuros grande jogadores. Possíveis problemas a parte, são insuficientes para não reconhecer que a base do clube está muito a frente de outros clubes. É o profissionalismo ocorrendo antes de ser profissional.

Veja também: Flamengo recebe o Sport e tenta manter boa sequencia

                     Com indefinição para renovar, Daniel Cabral, é afastado do Flamengo

           Após reunião com Marcus Braz, Diego Alves deve renovar com o Flamengo em breve