Futebol ProfissionalHistória do Flamengo

Símbolo do Flamengo: o voo do Urubu em 1969

O Redação Rubro-Negra está falando essa semana sobre a história do Flamengo. E não podíamos deixar de falar sobre o nosso símbolo atual: O Urubu Rei!

No final dos anos 60, os torcedores dos clubes rivais do Rio de Janeiro provocavam a torcida do Flamengo com gritos de “Urubus”. Mas, nem eles e nem os próprios rubro-negros poderiam imaginar que aquela provocação com teor racista tinha dias contados.

A história começou a mudar quando quatros jovens entraram em ação. Os rubro-negros Luis Octávio Vaz, Romilson Meirelles, Victor Ellery e Erick Soledade decidiram soltar um Urubu no clássico contra o Botafogo, no Maracanã, há 51 anos.

Luiz Octávio e Romilson Meirelles posam para foto no Maracanã em uma entrevista. Foto: Reprodução

A Busca pelo Urubu

O objetivo era só um: calar as torcidas adversárias que ironizavam o fato da torcida do Flamengo ter em sua maioria torcedores da pele negra. E escolheram o clássico contra o maior rival na ocasião. A busca pelo Urubu não seria fácil, mas os jovens estavam determinados a cumprir aquele objetivo.

Primeiro eles imaginaram que poderiam encontrar a ave em um lixão na Praia do Pinto, hoje conhecida como a Lagoa Rodrigo de Freitas. Porém, não tiveram sucesso nessa busca.

Logo depois, se deslocaram até a Zona Norte, dessa vez acreditaram que conseguiriam capturar um Urubu no lixão do Caju e estavam certos. Com a ajuda de um gari, o Urubu foi amarrado com lençol para ser transportado. A ave ofereceu resistência ao ser retirada de seu habitat, e bicava os jovens que precisaram parar na Av. Brasil e dominá-la com um saco plástico.

O voo do urubu: Nascia um símbolo rubro-negro

Urubu no gramado do Maracanã.

Domingo, 1 de junho de 1969. A bola ia rolar para Flamengo e Botafogo pelo 2° turno do Campeonato Carioca. Cerca de 150 mil presentes não esperavam que a partir daquele dia, o Urubu tão lembrado nos cânticos de forma pejorativa, se eternizaria de forma positiva. A primeira parte do plano havia sido concluída no dia anterior, naquele momento só restava preparar a ave para o voo.

Após passar a noite no porão de um prédio no Leme, onde Romilson morava,  com a cabeça imobilizada e em jejum, era hora do Urubu passar para o lado dos rubro-negros. Escondido em uma bandeira, o Urubu teve seu primeiro contato com a torcida mais popular do país ao entrar no Maracanã.

A ideia inicial era soltá-lo em campo com a bandeira do Flamengo amarrada nas patas quando as equipes entrassem, mas o atraso dos atletas e a irritação da ave não permitiu que assim fosse. O Urubu voou antes em direção ao gramado do Maracanã.

Naquele momento, presenciando o Urubu dando volta em frente a torcida rubro-negra que ecoava “É urubu, é urubu!”, certamente os quatros jovens pensaram a mesma coisa: missão cumprida. Mas a história mudou mesmo quando em silêncio e sem reação a torcida do Botafogo assistiu a ave voando em frente à eles portando a bandeira do Flamengo.

Mengo é a alegria

Ao fim desse jogo, o Flamengo venceu o Botafogo por 2 a 1 e encerrou um jejum de 8 jogos sem vencer o maior rival da época. Assim, o marinheiro Popeye que era herança do remo perdeu lugar para o Urubu que no entendimento de todos trouxe sorte ao time.

Se você perdeu as outras matérias, delicie-se conosco na história do Mais Querido do Mundo! Conheça sobre a Fundação, sobre as cores, os escudos e muito mais!!!

 

Etiquetas

Ana Júlia Oliveira

19 anos, rubro negra e jornalista em formação pela UFRRJ. Instragram: anajuliaolv_

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar