Futebol ProfissionalColunasFutebol – Categoria de BaseRômulo Cunha

Cheirinho de Hegemonia Rubro Negra!

8

A torcida do Flamengo criou o tal de cheirinho, contudo por vezes se viu refém da própria criação.

Mas isso acaba sendo legítimo, pois nenhuma outra torcida é tão capaz de criar tendências como a torcida Rubro-Negra.

O cheirinho começou a surgir nos ares quando em 2016 o Flamengo começava tomar forma, então ali já disputava o brasileirão com chances reais de levar o título.

Naquela ocasião lideramos o brasileiro por algumas rodadas, contudo mais uma vez criamos nossos próprios chavões que como sempre se alastraram pelas arquibancadas do país.

Dessa vez, foi algo surgido nas redes sociais, conforme os tais “memes” tomavam força. Logo ganhou forma, se tornando assim maior que seus criadores poderiam imaginar, fazendo rivais desejarem mais ainda nossa derrocada.

O cheirinho passou a ser notícia, debatido até nas mesas redondas de esporte. Os caras usam o termo em programas, dando ainda mais força para o que é criado em terrenos Rubro-Negros.

Entre os torcedores, há quem odeie, afinal fica como algo pejorativo, que desprestigia um trabalho.

Já outros entram na onda, afinal não tem torcida mais espetacular que a nossa; capaz de se “auto zoar”, e principalmente de se “auto aclamar”. Contudo qual outra torcida tem um canto em que se elogia?

Tomando todas essas proporções, e transformando em resultados, os rivais começaram a pegar nossos termos, e “usar” contra nós, dando provas de que de fato o que o Flamengo cria acaba viralizando.

“Será que isso de fato é desprestígio? Vejo mais como respeito.”

Um trabalho que começa dar resultados!

Cheirinho de Hepta

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Em 2019, essa história começou a tomar um rumo diferente. Mas preciso reservar um parágrafo, para elogiar, tudo que tem sido feito desde 2013.

Com todos os erros esportivos da diretoria anterior, os caras fizeram um excelente trabalho.

Nós começamos a reclamar pelo time chegar perto, porem ficava no quase, sendo que antes nossa tensão era lutar na parte de baixo da tabela.

Libertadores era lá uma vez ou outra.

Passamos a estar com frequência na competição, e mesmo com vários “fracassos”, o clube em si foi ganhando casca.

O time profissional foi se moldando, as nossas divisões de base já começavam a dar resposta, e sem que muitos torcedores percebessem, foi sendo pavimentada uma estrada para que nela pudesse passar os frutos que seriam colhidos após uma plantação tão dolorida.

Nessa temporada, que começou aos trancos e barrancos dentro de campo, mas com investimento absurdo fazia  o cheirinho mais uma vez tomar força.

Na verdade esse termo já faz parte do vocabulário do flamenguista, ou de outros que acham que podem nos zoar.

Só pra lembrar, eles nos chamam de mulambo, a gente pega a palavra, e a torna ainda mais popular.

Nos chamam de favelados, e nós transformamos em “festa na favela”.

O Flamengo é o time do povo, e o povo com sua capacidade de resiliência, consegue transformar seus obstáculos em escadas, fazendo com que tudo que tentam tacar na torcida para atingir, acaba voltando de uma forma bem humorada.

O Cheirinho acabou se fortalecendo e enfim nos trouxe a Hegemonia.

–

Foto: Divulgação Flamengo

Ouvi uma expressão na decisão do brasileiro sub 20, transmitida pelo canal sportv, onde um dos comentaristas destacou que o ano de 2019 deveria ser emoldurado, e de fato, deveria.

O que o Flamengo fez esportivamente é algo surreal, e para deixar qualquer torcedor nas nuvens.

A geração mais antiga voltou a ter prazer de assistir os jogos do nosso time, a geração mais recente, esta vendo a história acontecer mesmo sendo tão jovem, e isso não se limita só ao nosso time profissional.

Quem acompanha os jogos da nossa base, vem percebendo uma evolução absurda, e um esquema de jogar que parece uniforme. Uma vocação incrível para atacar.

Quem esta na base, precisa saber os conceitos do time profissional, e dessa forma aquela estrada pavimentada que foi dita pouco antes, não só estará carregando os frutos, mas também os troféus que começaram aos montes passar por elas.

Cheirinho de campeão brasileiro sub 17

Cheirinho de hegemonia

Foto: Divulgação Flamengo

A competição foi disputada pela primeira vez nessa temporada, e nossos garotos entraram com força total e com foco para garantir o êxito.

Com um futebol muito bem jogado nossos garotos foram avançando e conquistando resultados incríveis sendo dentro de casa ou fora

O Flamengo ficou no grupo B ao lado de: Grêmio, Corinthians, São Paulo, América MG, Botafogo, Internacional ,  Chapecoense, Vitória e Bahia.

Os Garotos do Ninho terminaram na primeira fase na 2° colocação.

Em 9 jogos, foram 5 vitórias, 3 empates e 1 derrota.

Nas quartas de final enfrentamos o Athletico-PR onde conseguimos 2 vitórias; uma na casa dos caras por 3 x 1 e outra em casa por 3 x 0.

Já pelas semifinais foi a vez de um poderoso São Paulo.

As duas partidas terminaram empatadas 2 x 2 e 0 x 0 sendo decidida nos pênaltis onde nossos garotos saíram vencedores 4 x 3.

A grande final foi contra um velho conhecido nas divisões de base.

Flamengo e Corinthians nos últimos anos travaram excelentes duelos nas categorias de base, afinal quem se esquece daquela final épica da copinha de 2016?

Pois bem, a final do brasileiro sub 17 foi nesse nível.

A primeira partida foi como um cheirinho suave plantado no ar.

Depois de estar perdendo por 3 x 1, nossos garotos conseguiram uma vitória espetacular, e viraram para 4 x 3.

Lázaro foi o grande destaque dessa partida fazendo 2 gols. O goleiro Bruno também teve grande destaque com defesas de outro mundo, goleirão sempre bem postado.

Na partida de volta realizada no estádio Kleber Andrade em Cariacica no ES, nossos garotos venceram por 2 x 1 com Lázaro fazendo mais um gol e Ryan Luka completando. Assim nosso sub 17 se sagrava pela primeira vez campeão brasileiro da categoria.

Cheirinho de campeão brasileiro sub 20!
Campeão sub 20

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Foram 19 jogos na fase de classificação.

Nossos garotos conseguiram terminar na 3° colocação com 12 vitórias, 5 empates e apenas 2 derrotas.

Nas quartas de final pegamos o Fluminense e nossos crias não tomaram conhecimento do adversário. Foram 2 vitórias categóricas. No primeiro jogo 3 x 0. A partida foi jogada no estádio Elcyr Resende em Saquarema com mando de campo dos tricolores.

Na ocasião, nossos gols foram marcados por Yuri Oliveira aos 11 minutos, Yuri Cesar aos 15 e Guilherme aos 25. Todos os gols foram marcados na etapa complementar.

No jogo de volta realizado na Gávea, nossos garotos voltaram vencer, porem de uma forma mais tensa. Fluminense abriu o placar logo as 2 minutos do segundo tempo com gol de Evanilson, mas os crias mostraram estar com a confiança inabalada. Os gols da virada foram marcados por Wendel da Silva aos 24, e 1 minuto depois Rodrigo Carvalho decretou a virada.

Nas semifinais o grande adversário foi o Corinthians onde conseguimos avançar com uma vitória no jogo de ida realizada no Parque São Jorge por 2×1.

Os gols do mengão foram marcados por Yuri Cesar aos 22 minutos do primeiro tempo, e Rodrigo Carvalho aos 45 do segundo. Nathan descontou aos 38 do 1° tempo.

Na partida de volta realizada no Kleber Andrade, as equipes terminaram empatadas em 0 x 0, dando aos garotos do ninho, a passagem para final.

A Grande final não poderia ser mais simbólica.

O adversário era justamente o Palmeiras, grande rival do tempo recente.

A partida de ida foi realizada no Pacaembu, onde o Palmeiras venceu por 1 x 0, com gol de Gabriel Silva ainda aos 6 do primeiro tempo.

A partida de volta, e ultima do campeonato foi realizada no estádio Kleber Andrade localizado em Cariacica-ES.

Os garotos do ninho foram para cima, e buscaram uma vitória maiúscula em cima do até então campeão. Foram 3 x 0 com gols de Yuri César, grande destaque dessa geração aos 29 do primeiro tempo, Wendel aos 25 do segundo e Guilherme aos 50.

–

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Um Cheirinho que nos trás satisfação!

 

A unificação dos campeonatos brasileiro Sub 17, sub 20 e profissional, mostrou uma evolução e uma busca pelo profissionalismo que igualmente da gosto de acompanhar.

O futebol vistoso jogado pelos “adultos” e elogiado por onde passa, vem sendo copiado pelas outras categorias, e os resultados começam aparecer.

Nomes como Lázaro, Daniel Cabral, Gabriel Noga entre outros do sub 17, começam despontar. Sem falar de Reinier que já vem atuando com frequência no profissional.

Já pelo sub 20, Yuri Cesar, Vitor Gabriel o goleiro Hugo de Souza que já foi até convocado para seleção principal parar ambientação, entre vários outros que já figuram jogando pelo profissional como o zagueirão Thuler, o atacante Lincoln e o volante Vinícius Souza.

Entretanto o Flamengo estabeleceu uma hegemonia incontestável em 2019. O título da libertadores, tão sonhado por todos nós, veio apenas certificar essa soberania, onde na competição, os jogos onde o Flamengo encontrou menos dificuldade foi justamente contra equipes brasileiras.

Decerto que o trabalho precisa continuar sendo feito de forma correta.

A busca pela excelência precisa ser constante, para que o cheirinho seja cada vez mais forte, e seja cheiro de títulos, sejam eles em qual categoria for.

Por: Rômulo F Cunha

 

Romulo Ferreira
Carioca de pai e mãe capixabas, cara família, temente a Deus. Eletricista Industrial de profissão. Flamengo por vocação! Amante de basquete, fissurado em vôlei. Admiração absurda pelo Maestro Junior, pelo campeão de tudo com o FlaBasquete Marquinhos, e pela espetacular Virna. Defensor dos esportes olímpicos, e agora, colunista do Redação Rubro Negra. "Feito de torcedores, para torcedores" 🔴⚫

Qatar Airways e Flamengo próximos de acordo.

Previous article

Barca saindo? Fla se prepara para 2020

Next article

8 Comments

  1. Nossa torcida é única. Pega uma simples palavra e transforma em um marco.. gostei da analogia do texto.. Parabêns pela nova roupagem do site. Ficou muito bonito

    1. Amooooo!!! Cheirinho do bem!!!

  2. Cheirinho de hegemonia. Gostei! Vou usar.

  3. Parabéns a todos e ao amigo pela matéria , Tmj

  4. Campeão de tudo

  5. Amooooooo! Um cheirinho do bem!!

  6. […] Henrique: “Nós estamos em outro patamar”. Nosso amigo Rômulo Ferreira escreveu aqui sobre a possível hegemonia rubro-negra que está por vir. É hora do Flamengo brigar pelo topo dos principais títulos, do Brasil e do […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do site ? Espalhe essa onda Rubro Negra

Instagram