Os caminhos da classificação rubro-negra

0
66
Foto: Divulgação / Flamengo

Início de Trabalho

A chegada de um novo técnico, a pausa da Copa América, novos atletas, todos esses fatores foram decisivos para o primeiro mês de trabalho de Jorge Jesus. Em outras palavras, além de ser um novo técnico no Flamengo, ele também é um novo técnico no futebol brasileiro. Portanto, no mês quebre-se livre, ele teve tempo suficiente para implementar sua metodologia no Mais Querido. Um começo promissor dentro do CT e com apoio incondicional dos torcedores e a diretoria para os desafios que estavam por vir no mês de julho e o resto da temporada.

As Peças do Tabuleiro

Flamengo possui um elenco qualificado e de alto nível técnico. Por exemplo, durante a Copa América, três de seus jogadores estavam servindo suas seleções: o lateral esquerdo Trauco, agora vendido ao Saint-Étienne, da França, chegou com a seleção do Peru até a final da competição. O meia Arrascaeta, foi o camisa 10 do Uruguai e o volante Cuellar defendeu a seleção da Colômbia, tendo, inclusive, marcado um gol no torneio sulamericano. Além disso, o Flamengo também estava se reforçando e trazendo novas peças, como o lateral direito Rafinha que estava no elenco durante o mês de treinos com JJ. Depois disso, ainda chegaram o zagueiro espanhol Pablo Marí, o meio campo Gérson e o lateral esquerdo Filipe Luís que defendeu o Brasil na Copa América. Portanto, ao todo seis atletas tiveram pouco contato com os treinos de Jorge Jesus, quatro deles desgastados pelo torneio de seleções e os outros dois vindos de férias de suas temporadas na Europa.

Mês Pesado

O primeiro mês de jogos oficiais de Jorge Jesus no Flamengo, previa dois confrontos pela Copa do Brasil, dois pela Libertadores e três jogos pelo Brasileirão. Portanto, duas competições eliminatórias e 9 pontos em jogo na disputa pela liderança do campeonato nacional. Em conclusão, o Flamengo conquistou uma classificação na Libertadores através dos pênaltis, contra o Emelec, do Equador, em um Maracanã lotado. Porém, também foi nas penalidades máximas que o Flamengo foi eliminado da Copa do Brasil pelo Athletico Paranaense e somou sete pontos na tabela. Foram 7 jogos, 3 vitórias, 3 empates e 1 derrota, ou seja, um início promissor em que pese uma eliminação, mas, principalmente, pela forma de jogar ousada e inovadora em alguns pontos específicos, como, por exemplo, muita movimentação e intensidade de todos os jogadores.

Muitas Lesões

Ainda durante o período de treinos durante a Copa América, o jogador Everton Ribeiro sofreu uma lesão que fez sua participação, durante o mês de julho, ficar comprometida. Além disso, outros atletas também sofreram com lesões, entre eles, Arrascaeta por desgaste, Vitinho com uma entorse no joelho, Rodrigo Caio, que teve uma lesão na coxa e o caso mais grave com Diego que teve uma fratura no tornozelo após uma entrada violenta durante a partida contra o Emelec, realizada no Equador. Muito se comenta sobre o alto número de jogadores lesionados, alguns, inclusive, atribuem algumas delas aos treinos realizados por Jorge Jesus que estariam exigindo demais dos jogadores.
Particularmente, eu vejo como uma soma de fatores, dentre eles: desgaste de jogadores que estiveram na Copa América, acúmulo de jogos em curto período, importância e carga emocional de algumas partidas como por exemplo na Copa do Brasil e Libertadores e contato físico de alto impacto.

O Que Vem em Agosto

Este mês, o Flamengo tem em seu calendário quatro jogos pelo Brasileiro e dois pela Libertadores. Será um mês de muitas viagens, pois são quatro partidas fora de casa e somente duas no Maracanã. Acima de tudo, viagens longas. O Flamengo, pelo Brasileiro, tem apenas o Grêmio em casa e viaja ao Nordeste duas vezes em confrontos contra o Bahia e o Ceará e fará também uma viagem até Brasília, pois o Vasco, que terá o mando de jogo, escolheu fazer o clássico fora do Rio de Janeiro. Depois disso, ainda terá os confrontos da Liberta contra o Internacional, de Porto Alegre, jogando a primeira partida em casa e a outra no Sul do país. No entanto, o Flamengo terá duas semanas de treino intercaladas entre as partidas contra Bahia, Grêmio e Vasco. Portanto, vai enfrentar o Inter com duas semanas a mais de treinos de dois jogos a menos, pois o Internacional tem confrontos contra o Cruzeiro pela Copa do Brasil.

Caminhos da Classificação

Grande parte da temporada de 2019 está em jogo em agosto, principalmente por causa de mais um confronto na Libertadores, objetivo principal do Flamengo nos últimos anos. Da mesma forma, é necessário somar pontos no Brasileirão e não se distanciar do líder da competição, o Santos, afinal, ainda estamos no primeiro turno, apenas um terço do campeonato foi realizado. Acredito que essas duas semanas de treino serão fundamentais ao Flamengo para recuperação de atletas e principalmente para um melhor entendimento das orientações de Jorge Jesus. Os jogadores que tiveram pouco contato com o técnico poderão absorver melhor suas idéias e aprimorar o estilo de jogo exigido pelo português. Além disso, é um tempo útil para recuperar jogadores lesionados e diminuir o desgaste físico daqueles que foram muito extenuados no mês anterior. O Flamengo tem ao seu favor o trunfo dessas duas partidas a menos que o Inter e isso pode fazer muita diferença na parte física, técnica e tática. Por exemplo, tempo de treino, recuperação física, aprimoramento tático e técnico das orientações de JJ. Vejo o tempo de treino como um grande fator a nosso favor no confronto, a possibilidade do técnico trabalhar com todas as peças e tê-las em alto nível físico pode ser determinante para a evolução do estilo de jogo do Flamengo.
Saudações Rubro-Negras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here