Adriano imperador e a bonita festa do hexa

Conquista suada. Superando os limites. A história do último titulo brasileiro do Flamengo vem com o DNA do clube. Hexa na raça.

0
350
Adriano Imperador
Adriano Imperador e Petkovic comemorando o hexa. (Foto: EFE)

Chegamos ao Hexa! Adriano Imperador, Petkovic, Angelim e Andrade foram os nomes dessa conquista!

Durante essa série de reportagem lembramos de todos os títulos brasileiros do Flamengo. Falamos do primeiro, em 80, o título que abriu o caminho para a década de ouro do clube. Abordamos o bi de 82 que serviu como uma espécie de coroação a mais para o time que havia conquistado o mundo no ano anterior. A história de 83, o título que veio em uma goleada com recorde histórico de público no Maracanã. Refrescamos a memória do torcedor com as polêmicas que giram entorno do título de 87, vitória no campo que é discutida até os dias atuais. Lembramos da conquista que combinou juventude e experiência em um só elenco, a de 92 com o Maestro Júnior. E agora para finalizar, avançamos 17 anos no tempo e desembarcamos em 2009 com Adriano Imperador como maior craque do time, o ano do hexa. Você é o nosso convidado nessa viagem.

Contexto da conquista

O começo do ano de 2009 foi bom para o Flamengo. O rubro-negro conseguiu o seu quinto tricampeonato carioca e de quebra empatou em conquistas estaduais com o Fluminense (31). Mesmo assim a torcida queria e precisava de algo a mais.

Mudança no formato de disputa do campeonato

De 2003 em diante, o Brasileirão mudou o seu sistema de disputa para pontos corridos. A fórmula premiava o time mais regular do campeonato. Sem duvidas era a forma mais justa de dar o título para o melhor. No entanto o Flamengo demorou para assimilar essa mudança, chegando, em certos anos, a ter a sua permanência ameaçada na elite do futebol brasileiro. Sua última conquista de Brasileirão havia sido em 1992, quando o campeonato ainda era mata-mata. Uma geração inteira nunca tinha visto o Flamengo sendo campeão brasileiro. No Maracanã frequentemente era vista uma faixa dizendo que “o brasileiro é obrigação”. Isso tinha que mudar. E mudou.

O campeonato brasileiro de 2009

A caminhada rumo ao topo do Brasil começou de uma forma turbulenta para o time da Gávea. O Flamengo, que não fez uma boa partida contra o Cruzeiro fora de casa, estreou no campeonato com uma derrota por 2×0. Nas duas rodadas seguintes o time empatou com o Avaí e ganhou do Santo André. Embora não fosse um início horroroso, a torcida sabia que se quisesse ser campeão o Flamengo precisaria fazer mais e apostava em velhos conhecidos para conquistar essa taça.

Adriano Imperador voltou

Adriano Imperador
Apresentação de Adriano Imperador

Adriano Imperador, uma cria da Gávea que havia sido vendido ao futebol italiano em 2001 e conquistou a Itália, onde ganhou o apelido de imperador. Atacante que chegou a disputar uma Copa do Mundo com a Seleção Brasileira, além de ser campeão da Copa das Confederações e Copa América. Ídolo, mas que atravessava um momento difícil na carreira profissional e na vida pessoal. Era necessário que Adriano Imperador reconquistasse a felicidade que um dia teve. O Flamengo era seu lar e abriu as portas para o Imperador. No dia 6 de maio de 2009 o rubro-negro anunciou o retorno do bom filho.

Sua estreia foi na terceira rodada do campeonato. Naquele domingo dia 31 de maio 68 mil pessoas foram ao Maracanã para ver a volta de Adriano Imperador ao futebol brasileiro. Ele não decepcionou e em uma cabeçada marcou o segundo gol da vitória do Flamengo ante ao Atlético Paranaense.

O retorno de outro velho conhecido

Adriano Imperador
Petkovic , reforço inusitado em 2009

O boom do Adriano Imperador foi um fogo de palha e o time voltou a oscilar. Após duas derrotas acachapantes para o Sport e o Coritiba, respectivamente 4×2 e 5×0, a próxima rodada guardava consigo mais uma volta de um velho ídolo: Dejan Petković. O jogador sérvio que acertou sua volta ao rubro-negro como pagamento de uma velha dívida que o time tinha com ele. No dia 20 de junho o meia participou de poucos minutos da goleada do Flamengo contra o Internacional. Show de Adriano no Maracanã, Flamengo 4×0 com, três gols do atacante. O camisa 43 não apresentava uma boa forma física e não conseguia render o que outrora rendia com a camisa do Flamengo.

Crise e troca no comando

A equipe não convencia em nenhum momento. Era necessário uma mudança no comando. Essa necessidade ficou clara após o tropeço contra o Grêmio Barueri no Maracanã. Esse fato ocasionou a demissão do técnico Cuca que estava sem vencer no campeonato há cinco jogos. Flamengo estava na oitava posição mas precisava reagir.

Sem muito tempo para pensar, a diretoria chegou na solução caseira e paliativa. Andrade foi alçado ao cargo de treinador interino. O campeão mundial assumiu o time com uma missão quase impossível: vencer o Santos na Vila Belmiro. O clube carioca nunca na história da competição havia vencido o alvinegro em seus domínios.

Em um jogo completamente histórico o Flamengo conseguiu enfim a vitória contra o Santos na Vila. Andrade mostrou que tabus existem para serem quebrados e que poderia ser a solução para o problema do time. Isso ficou evidente após a vitória por 3×1 contra o Atlético Mineiro. Este resultado fez com que a diretoria efetivasse o técnico no comando.

Os velhos conhecidos se unem e partem para a arrancada

O campeonato foi seguindo e o Flamengo parecia que ficaria no meio da tabela ou, no máximo, beliscaria um G4. Mas a coisa começou a mudar na 25ª rodada do campeonato. Flamengo recebeu o Sport e com dois do Imperador derrotou o clube pernambucano por 3×0. Nessa altura o rubro-negro carioca estava apenas na oitava colocação mas a crescente continuava. Vitórias contra Coritiba e Fluminense fizeram os comandados de Andrade chegar com moral ao jogo contra o São Paulo, que o era vice-líder, válido pela 29ª rodada. Em um jogo equilibrado os cariocas desbancaram os paulistas com um 2×1 na raça, destaque para bela atuação de Zé Roberto. O resultado deixou o mais querido a sete ponto do líder Palmeiras.

A conquista do título que parecia ser um sonho distante começou a tomar forma na trigésima rodada. O confronto era contra o Palmeiras no Palestra Itália. O Flamengo precisava vencer para entrar de vez na disputa. E foi o que aconteceu. Uma atuação de gala de Petković colocou o Flamengo na disputa pelo título. O camisa 43 marcou os dois gols da vitória por 2×0, sendo um golaço olímpico. A partida ainda contou com um pênalti desperdiçado pelo Vagner Love. O resultado alçou o rubro-negro para a segunda colocação.

Mas como sabemos nada é fácil na Gávea. E o campeonato que já era o mais equilibrado da era ficou ainda mais embolado, tanto que na 32ª rodada até o sexto colocado tinha chances reais de título. Na ocasião o Flamengo, que havia perdido para o Grêmio Barueri, estava em sexto lugar.

Estão deixando a gente sonhar

Era um confronto válido pela trigésima quarta rodada. De um lado Flamengo, do outro um velho conhecido em decisões, o Atlético Mineiro. Mineirão lotado para ver o confronto entre o terceiro e o quarto colocado. Jogo de seis pontos. Vencer ou vencer. E não é que o sérvio aprontou novamente?! Aos 9′ Petković bate o escanteio direto e faz mais um golaço olímpico. Maldonado aos 39′ marca seu primeiro gol com a camisa rubro-negra e amplia a vantagem. Na etapa final o Galo descontou com Ricardinho aos 4′, porém aos 36′ o artilheiro Adriano Imperador decretou a vitória. Flamengo 3×1. O resultado colocou o Flamengo na terceira colocação a dois pontos do líder São Paulo.

Na trigésima quinta rodada o São Paulo fez o seu papel, mas o vice-líder, que era o Palmeiras, tropeçou. Aproveitando esse tropeço e embalados pela dupla Pet e Imperador, os cariocas chegaram à segunda colocação, mantendo os mesmos dois pontos de distância. Bastava um vacilo do São Paulo na próxima rodada para o Flamengo se tornar o líder pela primeira vez nesse campeonato. O vacilo do São Paulo veio, ele perdeu para o Botafogo. Do lado de cá a coisa não saiu como o esperado e, diante de 78 mil pessoas no Maracanã, com direito a maior mosaico do mundo, o rubro-negro carioca empatou sem gols contra o Goiás.

Vitória fora de casa e liderança na reta final

O panorama era o seguinte: Penúltima rodada, Flamengo iria à São Paulo para enfrentar o Corinthians. O rubro-negro precisava vencer e torcer por mais um erro do líder para assumir a liderança. E foi o que aconteceu. Em um jogo coberto de polêmicas, Flamengo venceu o Corinthians por 2×0. Sao Paulo perdeu para o Goiás e mudou o campeonato todo. Flamengo era líder com dois pontos de diferença para o Internacional, que agora era o vice-líder e estava empatado em pontos com Palmeiras e São Paulo.

Última rodada: hora de decidir e soltar o grito de hexa

Jogo contra um grande time que já enfrentou em decisão de campeonato brasileiro. Maracanã lotado. Só dependendo do seu próprio resultado. O Flamengo entrou no jogo contra o Grêmio com a faca e o queijo na mão.

O jogo, no entanto, começou um pouco nervoso. Embora o Grêmio não estivesse disputando nada, ele não fez corpo mole. O Flamengo estava ansioso e o nervosismo piorou quando aos 21′ da primeira etapa Roberson abriu o placar para o tricolor gaúcho. Coincidentemente quase no mesmo momento o Internacional, arquirival do Grêmio e rival do Flamengo na disputa do título, marcou o gol.

A tensão da torcida e do time era visível

Com esse resultado o time colorado se sagrava campeão. O espírito de tensão que invadia o Maracanã começou a ser exorcizado 8 minutos depois do gol dos tricolores. Em um escanteio batido por Petković a bola ficou viva dentro da área até chegar em Adriano, o atacante faz a proteção e meio sem querer ajeita a bola para David que chuta para empatar o jogo aos 29′ do primeiro tempo. Ainda precisando da vitória Adriano e cia. partiu pra cima do Grêmio mas o primeiro tempo terminou com o empate no placar e nessa ocasião o empate não bastava para ser campeão porque Inter e São Paulo estavam vencendo.

O segundo tempo se iniciou com o Flamengo correndo para marcar o gol da virada e ser campeão, exatamente como terminou o primeiro tempo. O tempo ia passando e o o nervosismo só aumentava. Era necessário cabeça no lugar e serenidade. Algo que nunca faltou ao Ronaldo Angelim. Zagueiro de 34 anos que estava no Flamengo desde 2006. No começo de 2009, Angelim teve uma lesão grave perna e corria o risco de sofrer uma amputação. A lesão foi recuperada e a Nação agradeceu aos céus como nunca. Porque aos 24′ da etapa final, após um escanteio batido por Pet, o Magro de Aço, como era conhecido, subiu para desviar a bola pro gol e virar o jogo.

A espera acabou após esse gol

O gol do título! O gol do hexa! O gol da superação! O Flamengo era hexa campeão brasileiro de futebol! Comemoração por todo o país. Meninos que, como este que vos escreve, nunca tinha visto o seu time de coração ser campeão do Brasileirão corriam pela cidade aos gritos de “hexacampeão”. A coroação de toda uma geração de novos torcedores.

Título de um time desacreditado que se tornou o melhor do Brasil. Do zagueiro que teve risco de amputação e foi autor do gol do título. Do gringo que voltou para pagar dívida financeira e no final das contas aumentou a dívida de gratidão com a torcida. Do técnico interino que entrou para tapar buracos e fez história no futebol. Do atacante que voltou ao Rio para estar próximo da sua felicidade e a encontrou sendo artilheiro do campeonato e campeão. Do Flamengo, do Angelim, do Petković, do Andrade, do Adriano Imperador, do garoto, da mulher, do homem, da menina, do pai, do filho, do Thiago Canuto.

Ficha técnica da partida decisiva

Flamengo 2 x 1 Grêmio
06 de dezembro de 2009
Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 84.448
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)

Flamengo: Bruno, Léo Moura, Ronaldo Angelim, David e Juan; Willians, Aírton, Toró (Everton) e Petkovic (Fierro); Zé Roberto (Kléberson) e Adriano Imperador. Técnico: Andrade.
Gols: David 29′ e Ronaldo Angelim 69′.

Grêmio: Marcelo Grohe, Mário Fernandes, Thiego, Léo e Fábio Santos; Túlio, Adílson (Mithyuê), Maylson e Lúcio; Douglas Costa e Roberson (Bergson). Técnico: Marcelo Rospide.
Gol: Roberson 21′

Chegamos ao final da nossa série de reportagens sobre as maiores conquistas nacionais do Flamengo. Confesso que essa foi a mais especial para mim. Espero que assim como eu vocês tenham se divertido nessa grande viagem pela história do clube que amamos. Não esqueçam que amanhã tem estreia no Brasileiro de 2019, quem sabe não vem mais um título por aí? Vamos torcer! Não esqueça também de curtir, compartilhar e comentar. Até a próxima. SRN.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here