ColunasHistória do FlamengoIvan Queiroz

A Copa do Brasil eu tenho Três: 2006

0
Dando continuidade à nossa série sobre os títulos da Copa do Brasil, hoje vamos falar sobre o título de 2006. No entanto, primeiro vamos saber sobre o regulamento e participantes dessa edição da competição. Em outras palavras, saber que entre 2001 e 2012 a CBF consolidou o formato de 64 clubes participantes da Copa do Brasil, deixando de fora os clubes que estivessem na Libertadores no mesmo ano por motivo de conflito de datas.
Sobre o regulamento, a partir de 1995, foi estabelecido que, nas duas primeiras fases, se o time visitante vencesse por diferença maior ou igual a três gols no jogo de ida, estaria classificado para a fase seguinte. Depois disso, no ano seguinte, foi estabelecido que a diferença necessária para se qualificar como visitante no jogo de ida seria de dois gols.

Início da trajetória

O Flamengo começa seu caminho na competição enfrentando o ASA de Arapiraca-AL. Portanto, sua primeira partida como visitante, o objetivo era vencer e se possível fazer saldo pra evitar a partida de volta. O jogo foi muito abaixo do esperado, principalmente por culpa do próprio Flamengo. Em outras palavras, uma derrota parcial por 1×0 que durou até os 25 minutos do segundo tempo. Quando Angelim, vindo do banco de reservas, conseguiu o gol de empate do Flamengo numa jogada de escanteio em que Luizão desviou e com um belo sem pulo o ‘Magro de Aço’ empatou, dando números finais à partida que terminou em 1×1.

 

No jogo de volta, realizado num Maracanã em obras, o objetivo era a classificação. O futebol do Flamengo mais uma vez decepcionou. O rubro-negro tomou um susto logo aos 14 minutos do primeiro tempo com um gol do ASA marcado pelo jogador Cascata. Depois disso, a torcida do Flamengo passou a vaiar o time e o novo técnico Waldemar, o que fez o time acordar. Em uma cobrança de falta de Renato Abreu, desviada pelo zagueiro Renato Silva, trouxe o empate. O Flamengo acalmou e a virada era questão de tempo. Ao final do primeiro tempo, Peralta se livrou da marcação, entrou na área e chutou rasteiro e cruzado colocando a equipe carioca na frente do placar. No segundo tempo, o ASA-AL teve o meia Lamar expulso logo aos três minutos. O jogo continuava apertado e apreensivo até o final. O atacante Luizão perdeu muitos gols e o time adversário estava por apenas um gol para eliminar o Flamengo em pleno Maracanã. O placar do primeiro tempo não foi alterado e o Flamengo classificou.

Primeira Goleada

A segunda fase da Copa do Brasil trouxe ao Flamengo o confronto contra o ABC-RN. O clima no clube não era dos melhores e a pressão era muito grande. Recém eliminado do Carioca, o Flamengo vivia dias conturbados com jogadores e técnicos com seus trabalhos questionados, além de atrasos de salário. Em conclusão, somente uma vitória e a classificação na Copa do Brasil poderiam amenizar um pouco o clima. Na primeira partida realizada em Natal-RN, o Flamengo jogou com segurança e se impôs em campo. A superioridade não se refletia no placar. Com três bolas na trave do ABC, durante a partida, o jogo permanecia 0x0. Somente aos 31 minutos do segundo tempo, Angelim conseguiu colocar a bola dentro da meta do time potiguar e garantir a vitória do Flamengo na partida de ida.

 

Na partida de volta, no Maracanã, o Flamengo estava há duas semanas sem jogar, somente com treinos. Um time entrosado e com muita disposição, isso foi visto em campo nessa partida. Um Flamengo avassalador que fez três gols logo no primeiro tempo: Renato Abreu, Ramirez ‘El Tigre’ e Luizão fizeram os gols. Além disso, um segundo tempo com muitos gols perdidos evitaram um placar ainda mais elástico. Coube ao Renato Abreu marcar de pênalti o quarto gol concluindo em uma vitória de 4×0 animando mais ainda a Nação.

Segunda Goleada 

O terceiro adversário do Flamengo naquela edição de Copa do Brasil, já em fase de oitavas de final, foi o Guarani de Campinas-SP. No entanto, dessa vez o Flamengo faria o primeiro jogo como mandante, diferente das fases anteriores. Um bom resultado no Maracanã colocaria o Flamengo em boas condições para a partida de volta no interior paulista. O clube ainda passava por momentos conturbados em sua politica interna e isso refletia em campo. Eliminado precocemente no Estadual e um mal começo no Brasileirão, deixaram o Flamengo com a Copa do Brasil como último suspiro de esperança pra torcida. Com uma atuação segura, veio uma vitória expressiva por 5×1. Com gols de Luizão, Léo Moura, Renato Abreu, Obina e Juan, o Flamengo deu um importante passo rumo às quartas de final da copa do Brasil.

No jogo da volta, mais uma vez o clima não era dos melhores. O zagueiro Fernando havia sido barrado do time titular em virtude de uma falha contra o São Paulo pelo Brasileiro. Em seu lugar, o experiente Angelim estava de volta ao time. Mesmo assim, a impressão deixada contra o time de Campinas foi das piores. O Flamengo praticamente não existiu ofensivamente e ficou em apuros defensivos em diversas ocasiões. Por exemplo, logo no início da partida, o bugre já vencia por 1 x 0. Por fim, o Flamengo voltaria ao Rio de Janeiro derrotado, porém, classificado.

Terceira Goleada 

Chegando às quartas de final, o Flamengo pegaria pela frente o Atlético-MG. Além disso, assim como na fase anterior, faria o primeiro jogo em casa. Portanto, consolidar uma vantagem é sempre importante. O time inicia um jogo difícil, mas ainda no primeiro tempo aproveitando, um bom cruzamento de Juan e uma falha da zaga mineira, Renato Abreu faz 1×0. Uma vantagem importante pro segundo tempo, mas que logo seria ampliada. E logo no primeiro minuto do segundo tempo, em outro cruzamento do zagueiro, Renato Abreu faria 2×0. Obina, que havia entrado na segunda etapa, ampliaria para o terceiro. Depois disso, ainda cabia mais um. O volante Jonatas, em bela jogada de Vinícius Pacheco, fecha o placar em 4×1. Em seu quarto confronto eliminatório, o Flamengo, através de uma terceira goleada, deu um passo importante rumo à semifinal.
Na partida realizada no Mineirão, entrou muito tranquilo com a vantagem do jogo de ida. No entanto, não se limitou a ficar apenas marcando e saiu para o jogo principalmente em contra ataques e chutes de fora da área. No segundo tempo, o plano de jogo permaneceu igual com o Flamengo marcando muito bem e saindo em contra ataques perigosos, chegando com mais perigo ao gol adversário do que o time da casa. Ao fim da partida, o placar não se movimentou e o Flamengo conquistou sua vaga pra a semifinal da competição. Goleada do Flamengo vs Atlético-MG

Sensação Mineira

O Flamengo chegava à semifinal e enfrentaria o seu quinto adversário. Um clube que apesar de pouca expressão no cenário nacional, já tinha resultados de respeito. Era o Ipatinga, clube do interior de Minas Gerais, que conquistou seu primeiro e único título mineiro em 2005 e no ano de 2006 foi vice-campeão. Além disso, nessa edição da Copa do Brasil, chegou à semifinal passando entre outros clubes, por Botafogo e Santos, ambos campeões estaduais em 2006. Portanto, não era um adversário qualquer, apesar de não ser um clube tradicional.
A primeira partida realizada em Ipatinga-MG, foi uma partida equilibrada, em que o Flamengo, agora encorpado na competição, jogou com muita responsabilidade e disposição. Foi um jogo eficiente, com boa posse de bola, com muitas chances criadas. Acima de tudo, um Flamengo com cara de Flamengo. Ainda no primeiro tempo, Obina fez 1×0. Nos acréscimos, o Ipatinga conseguiu empatar com Camanducaia, dando números finais à partida.

 

Na partida de volta, no Maracanã, o Flamengo precisava da vitória para classificar à final. No entanto, o desfalque do lateral direito Léo Moura preocupava. Mas, eis que seu substituto Marcelinho foi um dos personagens da partida, sendo o autor de um dos gols do Flamengo na partida. O primeiro tempo, muito bem jogado e muito disputado, inclusive com o Ipatinga jogando melhor em muitos momentos, terminou empatado com um gol de Camanducaia para o Ipatinga e outro de Marcelinho para o rubro-negro. No segundo tempo, o Flamengo se impôs e jogou com seriedade e com o apoio da torcida que lotava o Maracanã, o virou a partida com um gol de Renato Abreu. Após uma partida difícil e emocionante, veio a classificação para a quinta final de Copa do Brasil.

Grande Final Carioca 

–O Flamengo chegou à grande final da Copa do Brasil de 2006 contra o seu maior rival, o Vasco da Gama. Portanto, era a primeira vez que a copa do Brasil seria decidida entre clubes do mesmo estado. Além disso, as duas partidas decisivas naquela edição, foram realizadas somente após a pausa para a Copa do Mundo da Alemanha 2006.
Portanto, ambas as equipes tiveram um mês para se reforçar, treinar, aprimorar e mudar o elenco ou a comissão técnica. Foi o que aconteceu com o Flamengo. Waldemar Lemos foi demitido por causa da péssima campanha que o Flamengo fazia no Brasileiro e nem a classificação à final da Copa do Brasil conseguiu segurá-lo no cargo. Um novo treinador, portanto, chegava ao Fla e se chamava Ney Franco, técnico do time que justamente deu mais trabalho ao time na fase eliminatória da competição, o Ipatinga. Franco chegou com um novo estilo de jogo, novas idéias e algumas mudanças no time.

Novo Camisa 10

Um jovem jogador foi indicado por Luizão, com quem jogou durante treinos de recuperação física do atleta. Depois disso, foi alçado ao elenco profissional com apenas 18 anos, fazendo parte dos treinos realizados em Manaus apenas no terceiro time. No entanto, o jogador foi se destacando e ganhando espaço. No segundo jogo-treino, ele já estava entre os reservas e novamente se destacava com boas atuações e gols. De volta ao Rio de Janeiro, seriam realizadas ainda duas partidas pelo brasileiro antes da primeira partida da final. Renato Augusto foi titular nas duas partidas, mas foram duas derrotas. Atuando com o número 36, Renato ainda não tinha certeza sobre sua participação no jogo da Copa do Brasil, inclusive já tinha comprado ingresso para ir ao jogo. No entanto, no dia do jogo, ele recebeu a ligação de diretores do clube lhe informando que jogaria com a camisa 10 do Flamengo. Uma grande reviravolta na carreira do jovem atleta.

Vai começar a festa

–O Flamengo chega para essa partida com técnico novo, novos jogadores e uma nova formação tática. Franco tinha o objetivo de melhorar o sistema defensivo do Flamengo e dar maior liberdade aos dois laterais Juan e Léo Moura, sem abdicar de um meio campo técnico com Jonatas, Renato Augusto e Renato Abreu. Além disso, um ataque experiente com Luizão no comando. Durante a partida, o zagueiro Renato Silva sentiu foi substituído pelo atacante Obina. Em uma de suas primeiras jogadas, Obina conseguiu um escanteio e, após a cobrança, marcou um golaço com um chute de rara felicidade, forte, no ângulo do Vasco. 1×0 Flamengo. Apenas três minutos depois, um belo cruzamento de Léo Moura e uma cabeçada fulminante de Luizão colocaria o Flamengo com dois gols de vantagem. Ao final da partida, o placar se manteve 2×0 e gritos de olé foram ouvidos no Maracanã.

Bicampeão 

–Chegou o dia de ser campeão e o Flamengo tinha uma vantagem de dois gols no placar. Os esforços do Vasco no objetivo de virar o jogo saíram de campo logo aos 17 minutos do primeiro tempo. O atacante Valdir Papel foi expulso após receber dois cartões amarelos. Coube ao Flamengo dominar o jogo e deixar o tempo passar, mantendo a posse de bola e jogando com objetividade. E foi isso que aconteceu. Aos 27 minutos do primeiro tempo, com um belo chute rasteiro de fora da área, Juan fez o gol que colocou o Flamengo em vantagem no placar dessa partida. Portanto, até o final da partida, foi uma festa da torcida, cantando e provocando o rival com gritos de olé mais uma vez. Ao final, o Flamengo sagrou-se bicampeão da Copa do Brasil, mais um capítulo de alegria e orgulho registrado na história rubro-negra.

Estatísticas da Campanha

–O Flamengo foi Bicampeão da Copa do Brasil com apenas uma derrota. Foram 12 jogos, 8 vitórias, 3 empates e uma derrota. O rubro-negro fez 23 gols e sofreu apenas 7. Além disso, foram três técnicos na campanha: Valdir Espinosa, Waldemar Lemos e Ney Franco. Foram utilizados 27 jogadores, sendo o goleiro Diego e o meio-campo Renato Abreu os jogadores que participaram de todas as 12 partidas. Dos 23 gols marcados, ao todo são 11 goleadores. Destaque para Renato Abreu com 6 gols marcados em 12 jogos e Obina que marcou 4 gols em 8 partidas (3 como titular e 5 como reserva). O Flamengo terminou a competição com aproveitamento de 100% nos jogos como mandante. Em conclusão, foi uma campanha com números expressivos e que, durante a competição, o time foi encorpando e melhorando seu futebol e suas apresentações.
A Copa do Brasil eu tenho três.
Saudações Rubro-Negras

Marcelo Ribeiro – Por onde anda o ex-jogador do Flamengo?

Previous article

Fla vence CSA no Mané Garrincha e retorna ao G4

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do site ? Espalhe essa onda Rubro Negra

Instagram